segunda-feira, 13 de outubro de 2014

LENDO CHARGES...

Leia as charges a seguir, responda aos questionamentos e poste no FACEGRUPO:

a. qual(ais)is questão(ões) foi(ram) mais fácil(eis) de entender 
b. qual(ais) mais difícil (eis).
c. Quantos porcento de acertos (hipótese). 


1

Disponível em: www.ivancabral.com. Acesso em: 27 fev. 2012.

O efeito de sentido da charge é provocado pela combinação de informações visuais e recursos linguísticos.
No contexto da ilustração, a frase proferida recorre à
a) polissemia, ou seja, aos múltiplos sentidos da expressão “rede social” para transmitir a ideia que pretende veicular.
b) ironia para conferir um novo significado ao termo “outra coisa”.
c) homonímia para opor, a partir do advérbio de lugar, o espaço da população pobre e o espaço da população rica.
d) personificação para opor o mundo real pobre ao mundo virtual rico.
e) antonímia para comparar a rede mundial de computadores com a rede caseira de descanso da família.

2

LAERTE. Disponível em: http://blog.educacional.com.br. Acesso em: 8 set. 2011.
Que estratégia argumentativa leva o personagem do terceiro quadrinho a persuadir sua interlocutora?
a) Prova concreta, ao expor o produto ao consumidor.
b) Consenso, ao sugerir que todo vendedor tem técnica.
c) Raciocínio lógico, ao relacionar uma fruta com um produto eletrônico.
d) Comparação, ao enfatizar que os produtos apresentados anteriormente são inferiores.
e) Indução, ao elaborar o discurso de acordo com os anseios do consumidor.

3


Disponível em: www.portaldapropaganda.com.br. Acesso em: 1 mar. 2012

A publicidade, de uma forma geral, alia elementos verbais e imagéticos na constituição de seus textos. Nessa peça publicitária, cujo tema é a sustentabilidade, o autor procura convencer o leitor a
a) assumir uma atitude reflexiva diante dos fenômenos naturais.
b) evitar o consumo excessivo de produtos reutilizáveis.
c) aderir à onda sustentável, evitando o consumo excessivo.
d) abraçar a campanha, desenvolvendo projetos sustentáveis.
e) consumir produtos de modo responsável e ecológico.

4

BROWNE, D. Folha de S.Paulo, 13 ago. 2011.

As palavras e as expressões são mediadoras dos sentidos produzidos nos textos. Na fala de Hagar, a expressão “é como se” ajuda a conduzir o conteúdo enunciado para o campo da
a) conformidade, pois as condições meteorológicas evidenciam um acontecimento ruim.
b) reflexibilidade, pois o personagem se refere aos tubarões usando um pronome reflexivo.
c) condicionalidade, pois a atenção dos personagens é a condição necessária para a sua sobrevivência.
d) possibilidade, pois a proximidade dos tubarões leva à suposição do perigo iminente para os homens.
e) impessoalidade, pois o personagem usa a terceira pessoa para expressar o distanciamento dos fatos.

5
Disponível em: www.assine.abril.com.br.  Acesso em: 29 fev. 2012 (adaptado).

Com o advento da internet, as versões de revistas e livros também se adaptaram às novas tecnologias. A análise do texto publicitário apresentado revela que o surgimento das novas tecnologias
a) proporcionou mudanças no paradigma de consumo e oferta de revistas e livros.
b) incentivou a desvalorização das revistas e livros impressos.
c) viabilizou a aquisição de novos equipamentos digitais.
d) aqueceu o mercado de venda de computadores.
e) diminuiu os incentivos à compra de eletrônicos.



6

Disponível em: www.ccsp.com.br. Acesso em: 26 jul. 2010 (adaptado)

O anúncio publicitário está internamente ligado ao ideário de consumo quando sua função é vender um produto. No texto apresentado, utilizam-se elementos linguísticos e extralinguísticos para divulgar a atração “Noites do Terror”, de um parque de diversões. O entendimento da propaganda requer do leitor
a) a identificação com o público-alvo a que se destina o anúncio.
b) a avaliação da imagem como uma sátira às atrações de terror.
c) a atenção para a imagem da parte do corpo humano selecionada aleatoriamente.
d) o reconhecimento do intertexto entre a publicidade e um dito popular.
e) a percepção do sentido literal da expressão “noites do terror”, equivalente à expressão “noites de terror”.

7
Disponível em: http://www.ccsp.com.br  Acesso em: 27 jul. 2010 (adaptado).

O texto é uma propaganda de um adoçante que tem o seguinte mote: “Mude sua embalagem”. A estratégia que o autor utiliza para o convencimento do leitor baseia-se no emprego de recursos expressivos, verbais e não verbais, com vistas a
a) ridicularizar a forma física do possível cliente do
produto anunciado, aconselhando-o a uma busca de mudanças estéticas.
b) enfatizar a tendência da sociedade contemporânea de
buscar hábitos alimentares saudáveis, reforçando tal postura.
c) criticar o consumo excessivo de produtos industrializados por parte da população, propondo a redução desse consumo.
d) associar o vocábulo “açúcar” à imagem do corpo fora de forma, sugerindo a substituição desse produto pelo adoçante.
e) relacionar a imagem do saco de açúcar a um corpo humano que não desenvolve atividades físicas, incentivando a prática esportiva.

8
VERÍSSIMO, L.F. As cobras em: Se Deus existe que eu seja atingido por um raio. Porto Alegre: L&PM, 1997.
O humor da tira decorre da reação de uma das cobras com relação ao uso de pronome pessoal reto, em vez de pronome oblíquo. De acordo com a norma padrão da língua, esse uso é inadequado, pois
a) contraria o uso previsto para o registro oral da língua.
b) contraria a marcação das funções sintáticas de sujeito e objeto.
c) gera inadequação na concordância com o verbo.
d) gera a ambiguidade na leitura do texto.
e) apresenta dupla marcação de sujeito.


9)


ITURRUSGARAI, A. La Vie en Rose. Folha de S. Paulo, 11 ago. 2007.


Os quadrinhos exemplificam que as Histórias em Quadrinhos constituem um gênero textual
a) em que a imagem pouco contribui para facilitar a interpretação da mensagem contida no texto, como pode ser constatado no primeiro quadrinho.
b) cuja linguagem se caracteriza por ser rápida e clara, que facilita a compreensão, como se percebe na fala do segundo quadrinho: “
b) cuja linguagem se caracteriza por ser rápida e clara, que facilita a compreensão, como se percebe na fala do segundo quadrinho: “ CLEAR = ALL> < BR> 


BRASIL. Ministério da Saúde. Revista Nordeste, João Pessoa, ano 3. n. 35. maio/jun. 2009.

Anúncio para questões 12 e 13. 
O texto exemplifica um gênero textual híbrido entre carta e publicidade oficial. Em seu conteúdo, é possível perceber aspectos relacionados a gêneros digitais.

12. Considerando-se a função social das informações geradas nos sistemas de comunicação e informação presentes no texto, infere-se que


a) a utilização do termo download indica restrição de leitura de informações a respeito de formas de combate à dengue.

b) a diversidade dos sistemas de comunicação emprega - dos e mencionados reduz a possibilidade de acesso às informações a respeito do combate à dengue.
c) a utilização do material disponibilizado para download no site www.combatadengue.com.br restringe-se ao receptor da publicidade.
d) a necessidade de atingir públicos distintos se revela por meio da estratégia de disponibilização de informações empregada pelo emissor.
e) a utilização desse gênero textual compreende, no próprio texto, o detalhamento de informações a
respeito de formas de combate à dengue.

13) Diante dos recursos argumentativos utilizados, depreende-se que o texto apresentado

a) se dirige aos líderes comunitários para tomarem a iniciativa de combater a dengue.
b) conclama toda a população a participar das estratégias de combate ao mosquito da dengue.
c) se dirige aos prefeitos, conclamando-os a organizarem iniciativas de combate à dengue.
d) tem como objetivo ensinar os procedimentos técnicos necessários para o combate ao mosquito da dengue.
e) apela ao governo federal, para que dê apoio aos governos estaduais e municipais no combate ao mosquito da dengue.

14) 

Dick Browne. O melhor de Hagar, o horrível, v. 2. L&PM pocket, p.55-6 (com adaptações).

Assinale o trecho do diálogo que apresenta um registro informal, ou coloquial, da linguagem.
a) “Tá legal, espertinho! Onde é que você esteve?!”
b) “E lembre-se: se você disser uma mentira, os seus chifres cairão!”
c) “Estou atrasado porque ajudei uma velhinha a atravessar a rua...”
d) “...e ela me deu um anel mágico que me levou a um tesouro”
e) “mas bandidos o roubaram e os persegui até a Etiópia, onde um dragão...”

15)
Entre os seguintes ditos populares, qual deles melhor corresponde à figura acima?
a) Com perseverança, tudo se alcança.
b) Cada macaco no seu galho.
c) Nem tudo que balança cai.
d) Quem tudo quer, tudo perde.
e) Deus ajuda quem cedo madruga.

Imagem para as questões 16 e 17.

16) 
O argumento presente na charge consiste em uma metáfora relativa à teoria evolucionista e ao desenvolvimento tecnológico. Considerando o contexto apresentado, verifica-se que o impacto tecnológico pode ocasionar
a) o surgimento de um homem dependente de um novo modelo tecnológico.
b) a mudança do homem em razão dos novos inventos que destroem sua realidade.
c) a problemática social de grande exclusão digital a partir da interferência da máquina.
d) a invenção de equipamentos que dificultam o trabalho do homem, em sua esfera social.
e) o retrocesso do desenvolvimento do homem em face da criação de ferramentas como lança, máquina e computador.

17) 
O homem evoluiu. Independentemente de teoria, essa evolução ocorreu de várias formas. No que concerne à evolução digital, o homem percorreu longo trajeto da pedra lascada ao mundo virtual. Tal fato culminou em um problema físico habitual, ilustrado na imagem, que propicia uma piora na qualidade de vida do usuário, uma vez que
a) a evolução ocorreu e com ela evoluíram as dores de cabeça, o estresse e a falta de atenção à família.
b) a vida sem o computador tornou-se quase inviável, mas se tem diminuído problemas de visão cansada.
c) a utilização demasiada do computador tem proporcionado o surgimento de cientistas que apresentam
lesão por esforço repetitivo.
d) o homem criou o computador, que evoluiu, e hoje opera várias ações antes feitas pelas pessoas, tornando-as sedentárias ou obesas.
e) o uso contínuo do computador de forma inadequada tem ocasionado má postura corporal.

18)  


As diferentes esferas sociais de uso da língua obrigam o falante a adaptá-la às variadas situações de comunicação.Uma das marcas linguísticas que configuram a linguagem oral informal usada entre avô e neto neste texto é 
a) a opção pelo emprego da forma verbal “era” em lugar de “foi”. 
b) a ausência de artigo antes da palavra “árvore”.
c) o emprego da redução “tá” em lugar da forma verbal “está”.
d) o uso da contração “desse” em lugar da expressão “de esse”.
e) a utilização do pronome “que” em início de frase exclamativa.

19)  



Segundo pesquisas recentes, é irrelevante a diferença entre sexos para se avaliar a inteligência. Com relação às tendências para áreas do conhecimento, por sexo, levando em conta a matrícula em cursos universitários brasileiros, as informações do gráfico asseguram que
a) os homens estão matriculados em menor proporção em cursos de Matemática que em Medicina por lidarem melhor com pessoas.
b) as mulheres estão matriculadas em maior percentual em cursos que exigem capacidade de compreensão dos seres humanos
c) as mulheres estão matriculadas em percentual maior em Física que em Mineração por tenderem a trabalhar melhor com abstrações.
d) os homens e as mulheres estão matriculados na mesma proporção em cursos que exigem habilidades semelhantes na mesma área.
e) as mulheres estão matriculadas em menor número em Psicologia por sua habilidade de lidarem melhor com coisas que com sujeitos.

20)


Essa campanha publicitária relaciona-se diretamente com  a seguinte afirmativa:
A) O comércio ilícito da fauna silvestre, atividade de  grande impacto, é uma ameaça para a biodiversidade nacional.
B) A manutenção do mico-leão-dourado em jaula é a  medida que garante a preservação dessa espécie animal.
C) O Brasil, primeiro país a eliminar o tráfico do mico-leão-dourado, garantiu a preservação dessa
espécie.
D) O aumento da biodiversidade em outros países  depende do comércio ilegal da fauna silvestre
brasileira.
E) O tráfico de animais silvestres é benéfico para a  preservação das espécies, pois garante-lhes a
sobrevivência.

21) 


O humor presente na tirinha decorre principalmente do fato de a personagem Mafalda
a) atribuir, no primeiro quadrinho, poder ilimitado ao dedo indicador.
b) considerar seu dedo indicador tão importante quanto o dos patrões.
c) atribuir, no primeiro e no último quadrinhos, um mesmo sentido ao vocábulo “indicador”.
d) usar corretamente a expressão “indicador de desemprego”, mesmo sendo criança.
e) atribuir, no último quadrinho, fama exagerada ao dedo indicador dos patrões.

-->
22.  Observando as falas das personagens, analise o emprego do pronome SE e o sentido que adquire no contexto. No contexto da narrativa, é correto afirmar que o pronome SE, 

(QUINO. Mafalda inédita. São Paulo: Martins Fontes, 1993)
a) em I, indica reflexividade e equivale a “a si mesmas”.  
b) em II, indica reciprocidade e equivale a “a si mesma”.  
c) em III, indica reciprocidade e equivale a “umas às outras”.  
d) em I e III, indica reciprocidade e equivale a “umas às outras”.  
e) em II e III, indica reflexividade e equivale a “a si mesma ” e "a si mesmas", respectivamente. 

Em uma conversa ou leitura de um texto, corre-se o risco de atribuir um significado inadequado a um termo ou expressão, e isso pode levar a certos resultados inesperados, como se vê nos quadrinhos abaixo. 
(SOUZA, Maurício de. Chico Bento. Rio de Janeiro: Ed. Globo, no 335, Nov./99) 
23. Nessa historinha, o efeito humorístico origina-se de uma situação criada pela fala da Rosinha no primeiro quadrinho, que é:
a) Faz uma pose bonita! 
b) Quer tirar um retrato? 
c) Sua barriga está aparecendo! 
d) Olha o passarinho! 
e) Cuidado com o flash!  
 
 O quadrinho publicado na revista Newsweek (23/9/1991) ilustra o desespero dos cartógrafos para desenhar o novo mapa-múndi diante das constantes mudanças de fronteiras. 






24. Levando em consideração o contexto da época em que a charge foi publicada, dentre as frases abaixo, a que melhor completa o texto da fala, propondo outra correção no mapa, é: 
a) “A Albânia já não faz parte da Europa”. 
b) “O número de países só está diminuindo”. 
c) “Cuba já não faz parte do Terceiro Mundo”. 
d) “O Kasaquistão acabou de declarar independência”. 
e) “Vamos ter de dividir a Alemanha novamente”. 
 
 As histórias em quadrinhos, por vezes, utilizam animais como personagens e a eles atribuem comportamento humano. O gato Garfield é exemplo desse fato. 
Fonte: Caderno Vida e Arte, Jornal do Povo, Fortaleza 
25. O 3º quadrinho sugere que Garfield: 
a) desconhece tudo sobre arte, por isso faz a sugestão. 
b) acredita que todo pintor deve fazer algo diferente.  
c) defende que para ser pintor a pessoa tem de sofrer. 
d) conhece a história de um pintor famoso e faz uso da ironia. 
e) acredita que seu dono tenha tendência artística e, por isso, faz a sugestão. 
 
 26.


"... Um operário desenrola o arame, o outro o endireita, um terceiro corta, um quarto o afia nas pontas para a colocação da cabeça do alfinete; para fazer a cabeça do alfinete requerem-se 3 ou 4 operações diferentes; ..."

SMITH, Adam. A Riqueza das Nações. Investigação sobre a sua Natureza e suas Causas. Vol. I. São Paulo: Nova Cultural, 1985.

A respeito do texto e do quadrinho são feitas as seguintes afirmações:
I. Ambos retratam a intensa divisão do trabalho, à qual são submetidos os operários.
II. O texto refere-se à produção informatizada e o quadrinho, à produção artesanal.
III. Ambos contêm a idéia de que o produto da atividade industrial não depende do conhecimento de todo o processo por parte do operário.

Dentre essas afirmações, apenas 
a) I está correta. 
b) II está correta. 
c) III está correta. 
d) I e II estão corretas. 
e) I e III estão corretas. 
 
27. O problema enfrentado pelo migrante e o sentido da expressão "sustança" expressos nos quadrinhos acima, podem ser, respectivamente, relacionados a
a) rejeição / alimentos básicos.  
b) discriminação / força de trabalho. 
c) falta de compreensão / matérias-primas.  
d) preconceito / vestuário.  
e) legitimidade / sobrevivência. 


28. A conversa entre Mafalda e seus amigos
a) revela a real dificuldade de entendimento entre posições que pareciam convergir. XXX
b) desvaloriza a diversidade social e cultural e a capacidade de entendimento e respeito entre as pessoas. 
c) expressa o predomínio de uma forma de pensar e a possibilidade de entendimento entre posições divergentes. 
d) ilustra a possibilidade de entendimento e de respeito entre as pessoas a partir do debate político de idéias. 
e) mostra a preponderância do ponto de vista masculino nas discussões políticas para superar divergências.

Um comentário:

luizpaulo inacio disse...

Achei muito difícil mais deu pra fazer