quinta-feira, 29 de julho de 2010

ABRINDO O 2º SEMESTRE 2010 E POR SINAL MUITO BEM, COM POESIA - 5ª séries

QUINTAS SÉRIES, BEM-VINDAS AO MUNDO DA POESIA

PARA COMEÇAR









LENDO E DECLARANDO POESIA...

Cidadezinha
Mario Quintana

Cidadezinha cheia de graça...
Tão pequenina que até causa dó!
Com seus burricos a pastar na praça...
Sua igrejinha de uma torre só...
Nuvens que venham, nuvens e asas,
Não param nunca nem um segundo...
E fica a torre, sobre as velhas casas,
Fica cismando como é vasto o mundo!...

Eu que de longe venho perdido,
Sem pouso fixo (a triste sina!)
Ah, quem me dera ter lá nascido!

Lá toda a vida poder morar!
Cidadezinha... Tão pequenina
Que toda cabe num só olhar...
Prosa e verso. 9ª ed. São Paulo: Globo, 2005.

Milagre no Corcovado
Ângela Leite de Souza

Todas as noites
de céu nublado
no Corcovado
faz seu milagre
o Redentor:
fica pousado
no algodão-doce
iluminado
como se fosse
de isopor.

Mas todos sabem
que bem de perto
esse Jesus
é um gigante
de mais de mil
e cem toneladas...
Suba de trem,
vá pela estrada,
quem chega lá,
ao pé do Cristo,
vira mosquito.

E olhando em volta
para a cidade
de ponta a ponta
maravilhosa
a gente sente
um arrepio:
o milagre
é o próprio Rio!
Meus Rios. Belo Horizonte: Formato, 2000.

Canção do exílio
Gonçalves Dias

Minha terra tem palmeiras
Onde canta o Sabiá,
As aves, que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.

Nosso céu tem mais estrelas,
Nossas várzeas têm mais flores,
Nossos bosques têm mais vida,
Nossa vida mais amores.

Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Minha terra tem primores,
Que tais não encontro eu cá;
Em cismar — sozinho, à noite —
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Não permita Deus que eu morra,
Sem que eu volte para lá;
Sem que desfrute os primores
Que não encontro por cá;
Sem qu’inda aviste as palmeiras,
Onde canta o Sabiá.
Cinco estrelas. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001. Coleção Literatura em Minha Casa.

Alma cabocla
Paulo Setúbal

E, na doçura que encerra
Esta simpleza daqui,
Viver de novo, na serra,
Entre as gentes desta terra,
A vida que eu já vivi...
Obras completas. São Paulo: Saraiva, 1958.

Livros e flores
Machado de Assis

Teus olhos são meus livros.
Que livro há aí melhor,
Em que melhor se leia
A página do amor?
Flores me são teus lábios.
Onde há mais bela flor,
Em que melhor se beba
O bálsamo do amor?
Obra completa III. Rio de Janeiro: Aguilar, 1962.

As Marias do meu lugar
Carlos Victor Dantas Araújo
I
Minha terra é pequenina
Fica aqui no Ceará
No Vale do Jaguaribe
Alto Santo aqui está
No Comando das Marias
Que progride esse lugar

II
Tem Maria sertaneja
Valente feito um trovão
Daquela que desde cedo
Faz o cultivo do chão
E a Maria tratorista
Que ajuda na plantação

III
Tem Maria lá na Câmara
Que é a vereadora
Tem Maria que cedinho
Limpa a rua com a vassoura
Tem aquela que ensina
A Maria professora

IV
A Maria forrozeira
Rodeia feito pião
Tem a Maria louceira
Transforma o barro com a mão
E a Maria morena
Com corpo de violão

V
Maria que no mercado
Vende o quente e o frio
E a Maria lavadeira
Faz espuma lá no rio
E a Maria açougueira
Com a faca faz desafio

VI
Maria no hospital
A Maria enfermeira
Lá na fábrica de tecidos
A Maria costureira
E aqui na minha casa
A Maria verdadeira

VII
Lá no altar da igreja
Maria diz o amém
Implora ao padroeiro
Para todos viver bem
A mãe do Menino Deus
Que é Maria também

VIII
Ah! Se em todo lugar tivesse
Assim tantas alegrias
E que fosse como meu
Nessa paz do dia a dia
Que faz o calor do sol
Dar força a essas Marias
Aluno finalista da 1ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, em 2008, 6º ano da E. M. E. F. Urcesina Moura Cantídio, Alto Santo - CE.


TREM DE ALAGOAS
O sino bate,
o condutor apita o apito,
solta o trem de ferro um grito,
põe-se logo a caminhar...
                    — Vou danado pra Catende,
                    vou danado pra Catende,
                    vou danado pra Catende
                    com vontade de chegar...
Mergulham mocambos
nos mangues molhados ,
moleques mulatos,
vem vê-lo passar.
              — Adeus!
              — Adeus!
Mangueiras, coqueiros,
cajueiros em flor,
cajueiros com frutos
já bons de chupar...
             — Adeus, morena do cabelo cacheado!
            — Vou danado pra Catende,
            vou danado pra Catende,
            vou danado pra Catende
            com vontade de chegar...
Na boca da mata
há furnas incríveis
que em coisas terríveis
nos fazem pensar:
            — Ali mora o Pai-da-Mata!
            — Ali é a casa das caiporas!
            — Vou danado pra Catende,
            vou danado pra Catende,
            vou danado pra Catende
            com vontade de chegar...
Meu Deus! Já deixamos
a praia tão longe...
No entanto avistamos
bem perto outro mar...
Danou-se! Se move,
parece uma onda...
Que nada! É um partido
já bom de cortar...
              — Vou danado pra Catende,
              vou danado pra Catende,
              vou danado pra Catende
              com vontade de chegar...
Cana-caiana
cana-roxa
cana-fita
cada qual a mais bonita,
todas boas de chupar...
             — Adeus, morena do cabelo cacheado!
             — Ali dorme o Pai-da-Mata!
             — Ali é a casa das caiporas!
             — Vou danado pra Catende,
             vou danado pra Catende,
             vou danado pra Catende
             com vontade de chegar...
                                                                         Ascenso Ferreira
Do livro: "Poemas de Ascenço Ferreira", Nordestal Editora, 1995, PE 

A valsa
Casimiro de Abreu 

Tu ontem,
Na dança
Que cansa,
Voavas
Co’as faces
Em rosas
Formosas
De vivo,
Lascivo
Carmim;

Na valsa
Tão falsa,
Corrias
Fugias,
Ardente,
Contente,
Tranquila,
Serena,
Sem pena
De mim!
Ilka Brunhilde Laurito (org.). Casimiro de Abreu (Antologia). São Paulo: Abril Educação, 1982. Série Literatura Comentada.

Natal

De repente o sol raiou
E o galo cocoricou:

— Cristo nasceu!

O boi, no campo perdido
Soltou um longo mugido:

— Aonde? Aonde?

Com seu balido tremido
Ligeiro diz o cordeiro:

— Em Belém! Em Belém!

Eis senão quando, num zurro
Se ouve a risada do burro:

— Foi sim que eu estava lá!

E o papagaio que é gira
Pôs-se a falar: — É mentira!

Os bichos de pena, em bando
Reclamaram protestando.

O pombal todo arrulhava:
— Cruz credo! Cruz credo!

Brava
A arara a gritar começa:

— Mentira! Arara. Ora essa!

— Cristo nasceu! canta o galo.
— Aonde? pergunta o boi.
— Num estábulo! — o cavalo
Contente rincha onde foi.
Bale o cordeiro também:

— Em Belém! Mé! Em Belém!

E os bichos todos pegaram
O papagaio caturra
E de raiva lhe aplicaram
Uma grandíssima surra.
O relógio

Passa, tempo, tic-tac
Tic-tac, passa, hora
Chega logo, tic-tac
Tic-tac, e vai-te embora
Passa, tempo
Bem depressa
Não atrasa
Não demora
Que já estou
Muito cansado
Já perdi
Toda a alegria
De fazer
Meu tic-tac
Dia e noite
Noite e dia
Tic-tac
Tic-tac
Tic-tac . . .
(Vinícius de Moraes)
BILHETE

Se tu me amas,
ama-me baixinho.

Não o grites de cima dos telhados,
deixa em paz os passarinhos.

Deixa em paz a mim!

Se me queres,
enfim,

.....tem de ser bem devagarinho,
.....amada,

.....que a vida é breve,
.....e o amor
.....mais breve ainda.
(Mario Quintana)

A onda

a onda anda
aonde anda
a onda?
a onda ainda
ainda onda
ainda anda
aonde?
aonde?
a onda a onda (Manuel Bandeira)

 Rio na sombra

Som
frio.

Rio
Sombrio.

O longo som
do rio
frio.

O frio
bom
do longo rio.

Tão longe,
tão bom,
tão frio
o claro som
do rio
sombrio!


Os Sinos

Sino de Belém,
Sino da paixão...
Sino de Belém,
Sino da paixão...
Sino do Bonfim!...
Sino do Bonfim!...

Sino de Belém, pelos que ainda vêm!
Sino de Belém, bate bem-bem-bem.
Sino da paixão, pelos que ainda vão!
Sino da paixão, bate bão-bão-bão.

Sino do Bonfim, por que chora assim?...

Sino de Belém, que graça ele tem!
Sino de Belém bate bem-bem-bem.
Sino da paixão. - pela minha irmã!
Sino da paixão. - pela minha mãe!

Sino do Bonfim, que vai ser de mim?...

Sino de Belém, como soa bem!
Sino de Belém bate bem-bem-bem.
Sino da paixão... Por meu pai?...-Não! Não!
Sino da paixão bate bão-bão-bão.
Sino do Bonfim, baterás por mim?...

Sino de Belém,
Sino da paixão...
Sino da paixão, pelo meu irmão...
Sino da paixão,
Sino do Bonfim...
Sino do Bonfim, ai de mim, por mim!

Sino de Belém, que graça ele tem!

 Lua depois da chuva

Olha a chuva molha a luva
cada gota de água
como um bago de uva

A chuva lava a rua
a viúva leva o guarda chuva e a luva

olha a chuva molha a luva
e o guarda chuva da viúva

vai a chuva e chega a lua
lua de chuva(Cecília Meireles)



Rio na sombra

Som
frio.

Rio
Sombrio.

O longo som
do rio
frio.

O frio
bom
do longo rio.

Tão longe,
tão bom,
tão frio
o claro som
do rio
sombrio!

Lua depois da chuva

Olha a chuva molha a luva
cada gota de água
como um bago de uva

A chuva lava a rua
a viúva leva o guarda chuva e a luva

olha a chuva molha a luva
e o guarda chuva da viúva

vai a chuva e chega a lua
lua de chuva

A lua é do Raul

Raio de lua.
Luar.
Lua do ar
azul.
Roda da lua.
Aro da roda
na tua
rua,
Raul!
Roda o luar
na rua
toda
azul.
Roda o aro da lua.
Raul,
a lua é tua,
a lua da tua rua!
A lua do aro azul.(Cecília Meireles)
 
Ou Isto ou Aquilo 

Ou se tem chuva e não se tem sol
ou se tem sol e não se tem chuva!

Ou se calça a luva e não se põe o anel,
ou se põe o anel e não se calça a luva!

Quem sobe nos ares não fica no chão,
quem fica no chão não sobe nos ares.

É uma grande pena que não se possa
estar ao mesmo tempo em dois lugares!

Ou guardo o dinheiro e não compro o doce,
ou compro o doce e gasto o dinheiro.

Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo...
e vivo escolhendo o dia inteiro!

Não sei se brinco, não sei se estudo,
se saio correndo ou fico tranqüilo.

Mas não consegui entender ainda
qual é melhor: se é isto ou aquilo.(Cecília Meireles)

A arca de Noé

Sete em cores, de repente
O arco-íris se desata
Na água límpida e contente
Do ribeirinho da mata.

O sol, ao véu transparente
Da chuva de ouro e de prata
Resplandece resplendente
No céu, no chão, na cascata.

E abre-se a porta da Arca
De par em par: surgem francas
A alegria e as barbas brancas
Do prudente patriarca

Noé, o inventor da uva
E que, por justo e temente
Jeová, clementemente
Salvou da praga da chuva.

Tão verde se alteia a serra
Pelas planuras vizinhas
Que diz Noé: "Boa terra
Para plantar minhas vinhas!"

E sai levando a família
A ver; enquanto, em bonança
Colorida maravilha
Brilha o arco da aliança.

Ora vai, na porta aberta
De repente, vacilante
Surge lenta, longa e incerta
Uma tromba de elefante.

E logo após, no buraco
De uma janela, aparece
Uma cara de macaco
Que espia e desaparece.

Enquanto, entre as altas vigas
Das janelinhas do sótão
Duas girafas amigas
De fora a cabeça botam.

Grita uma arara, e se escuta
De dentro um miado e um zurro
Late um cachorro em disputa
Com um gato, escouceia um burro.

A Arca desconjuntada
Parece que vai ruir
Aos pulos da bicharada
Toda querendo sair.

Vai! Não vai! Quem vai primeiro?
As aves, por mais espertas
Saem voando ligeiro
Pelas janelas abertas.

Enquanto, em grande atropelo
Junto à porta de saída
Lutam os bichos de pelo
Pela terra prometida.

"Os bosques são todos meus!"
Ruge soberbo o leão
"Também sou filho de Deus!"
Um protesta; e o tigre — "Não!"

Afinal, e não sem custo
Em longa fila, aos casais
Uns com raiva, outros com susto
Vão saindo os animais.

Os maiores vêm à frente
Trazendo a cabeça erguida
E os fracos, humildemente
Vêm atrás, como na vida.

Conduzidos por Noé
Ei-los em terra benquista
Que passam, passam até
Onde a vista não avista

Na serra o arco-íris se esvai . . .
E . . . desde que houve essa história
Quando o véu da noite cai
Na terra, e os astros em glória

Enchem o céu de seus caprichos
É doce ouvir na calada
A fala mansa dos bichos
Na terra repovoada.
(Vinícius de Moraes)
 

25 comentários:

Jessica Fernandes disse...

prof e a jessica da 5-a! gostei muito de seus videos poesia,trem de ferro,borboletas,o menino azul bjsss

Bruna Morais disse...

oi professora adorei os videos, as interpretações de trêm de ferro são muito legais adorei ver as meninas fazendo o primeiro video do trêm de ferro.
o video do poema borboletas era muito legal adorei as rimas. imprimi as poesias.beijos

Giulia disse...

oiie prof e anna giulia 5a adorei os poemas trem de ferro as interpretaçoes e imprimi todos os poemas!!!
beijokz ate

camylla disse...

ola professora tudo bem ??
estou gostando muito das aulas e tambem dos vidios e tambem os poemas parabens pelo blog
beijos
da camila 5 serie A

brunaariri disse...

olá professora piedade é a bruna da 5 serie C.
gostei muito dos seus videos pesia,as interpretaçoes de trem de ferro são muitos legais!!!
gostei principalmente da poesia borboletas, pois a interpretaçao é super legal!!!
peguei todos os poemas e gostei mais do "cidadezinha"!!!
estou adorando as suas aulas, e estou ansioosa para ir no bianal dos livros!!! apsto q vai ser um dia divertido!!
bjos!!

Gabrielly disse...

GABRIELLY CRISTTINY 5°c
Olá professora PIEDADE,gostei muito dos vídeos,mas adorei o"trêm de Ferro" a interpretação foi legal!

beijos,até segunda-feira!

gabriela disse...

Olá professora

Gostei muito dos videos pricipalmente,
trem de ferro e borboletas.

Gabriela Almeida Junho 5 Serie C

isa disse...

oi prof!soua isabelly da 5C...
gostei dos videos e eu imprimi as poesias e poemas!
esta em uma folha a parte[nao colei na folha]
gostei do 3 video parece... do cafe com pao parecido com uma acapella de vozes!é interessante...

bjosss...

isa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
isa disse...

prof é a isabelly da 5C
gostei muito dos seus videos do cafa com pao e o poema das borboletas!!!!

bjossss

isa disse...

oi prof
gostei dos videos e o do ´poema das borboletas!
isabelly 5C
bjosss

isa disse...

oi prof gostei do videos e dos poemas e poesias!!!
muito legal esse projeto!!!
bjosss

isa disse...

prof desculpa o tanto de recados iguais é q eu pensei q nao estava postando mas na verdade estava!
bjoss

mari disse...

Olá
professora Piedade é a Mariana da 5 serie C.
gostei muito dos seus videos poesias.
gostei principalmente da poesia borboletas, pois ele é super legal!!!

♣ VINICIUS S.P.F.C disse...

Profª Piedade vi todos os vídeos,o que mais gostei foi do trem de ferro de Manoel Bandeira, mas o menino azul é muito engraçado.Imprimi todos.Espero que nesse semestre posso aprender muito Bjss Vinícius Graciano 5ª série A

camylla disse...

olá professora é a camila da 5 serie a professora eu estou com uma duvida
a capa do dicionario sabe ??
o alfabeto poetico
a capa pode ser imprimida ??
bjss
ate amanhã

Ingrid Tainara disse...

Oi professora Piedade!sou a Ingrid Tainara da 5ªc...
Gostei muito dos videos,poesia e também das interpretações FOI MUITO LEGAL!!!

Beijos e um grande abraço

Gabrielly disse...

O lugar onde eu moro!


O lugar onde moro, é repleto de coisas bonitas.
Como: borboletas, brincadeiras e muitos amigos!
Lá, posso ler escrever, descansar e principalmente cantar,
Onde, em alguns lugares não posso!

Gosto do lugar onde moro!
Mas prefiro a praia,
Pois lá faço muitos amigos,
Cada um com sua qualidade ou defeito!

Mais agradeço á Deus por ter
Esta casa, pois há pessoas,
Que nem ter oque comer!
Por isso obrigada!!!!
.

(Gabrielly Cristtiny-5 SÉRIE C)

Juliana disse...

Oi

Somos Juliana e Leticia da 5ªB e escolhemos os poemas CIDADEZINHA e a VALSA

leleeh *-- disse...

Olá Professora Piedade

Sou Letícia da 5ªB,meu grupo é Juliana,Amanda, Alice e Jéssica Vitória, ambas escolhemos os seguintes poemas:CIDADEZINHA e a VALSA pois foram os escolhidos desde então.

Bjo'z
L&tíci@ ! =]

P.S:Já estamos treinando a declamação dos poemas acima citados !

Vitoria disse...

Sou a Victoria e escolhi os poemas "Alma cabocla" e "Milagre no Corcovado"

mateus disse...

Oi professora, assisti aos videos. Gostei muito das poesia,trem de ferro,borboletas e o menino azul, escolhi os poemas CIDADEZINHA e a VALSA.Sou Mateus Abreu 5ªsérie B.

Juliana disse...

Oi Professora Piedade

O grupo com a lider juliana rosa escolheu os poemas: CIDADEZINHA e O RELOGIO

Observaçao: Ninguem pode escolher esses dois poemas (5ªB)

Juli@n@ Ros@ Nogu&ir@

Bjossssss :]

Giulia disse...

oie prof
pssando so pra falar que nao me canso de ver os videos e principalmente o menino azul
beijoss anna giulia 5ªa

GuilhermeCobra disse...

eu achei muito legal, pois com alguém interpretando fica mais fácil entender a poesia.