sábado, 2 de abril de 2011

RECADOS DE ABRIL 2011 PARA O 8ªs/9º ANOS DO JC TEXTO DO TIPO DO ARGUMENTAR

1º EXEMPLO: LETRAS DE MÚSICA


Perfeição 

Legião Urbana

Composição : Renato Russo
Vamos celebrar
A estupidez humana
A estupidez de todas as nações
O meu país e sua corja
De assassinos
Covardes, estupradores
E ladrões...

Vamos celebrar
A estupidez do povo
Nossa polícia e televisão
Vamos celebrar nosso governo
E nosso estado que não é nação...

Celebrar a juventude sem escolas
As crianças mortas
Celebrar nossa desunião...

Vamos celebrar Eros e Thanatos
Persephone e Hades
Vamos celebrar nossa tristeza
Vamos celebrar nossa vaidade...

Vamos comemorar como idiotas
A cada fevereiro e feriado
Todos os mortos nas estradas
Os mortos por falta
De hospitais...

Vamos celebrar nossa justiça
A ganância e a difamação
Vamos celebrar os preconceitos
O voto dos analfabetos
Comemorar a água podre
E todos os impostos
Queimadas, mentiras
E seqüestros...

Nosso castelo
De cartas marcadas
O trabalho escravo
Nosso pequeno universo
Toda a hipocrisia
E toda a afetação
Todo roubo e toda indiferença
Vamos celebrar epidemias
É a festa da torcida campeã...

Vamos celebrar a fome
Não ter a quem ouvir
Não se ter a quem amar
Vamos alimentar o que é maldade
Vamos machucar o coração...

Vamos celebrar nossa bandeira
Nosso passado
De absurdos gloriosos
Tudo que é gratuito e feio
Tudo o que é normal
Vamos cantar juntos
O hino nacional
A lágrima é verdadeira
Vamos celebrar nossa saudade
Comemorar a nossa solidão...

Vamos festejar a inveja
A intolerância
A incompreensão
Vamos festejar a violência
E esquecer a nossa gente
Que trabalhou honestamente
A vida inteira
E agora não tem mais
Direito a nada...

Vamos celebrar a aberração
De toda a nossa falta
De bom senso
Nosso descaso por educação
Vamos celebrar o horror
De tudo isto
Com festa, velório e caixão
Tá tudo morto e enterrado agora
Já que também podemos celebrar
A estupidez de quem cantou
Essa canção...

Venha!
Meu coração está com pressa
Quando a esperança está dispersa
Só a verdade me liberta
Chega de maldade e ilusão
Venha!
O amor tem sempre a porta aberta
E vem chegando a primavera
Nosso futuro recomeça
Venha!
Que o que vem é Perfeição!...



Minha alma tem o peso da luz. Tem o peso da música. Tem o peso da palavra nunca dita, prestes quem sabe a ser dita. Tem o peso de uma lembrança. Tem o peso de uma saudade. Tem o peso de um olhar. Pesa como pesa uma ausência. E a lágrima que não se chorou. Tem o imaterial peso da solidão no meio de outros. (Clarice Lispector)



texto n° 1: Minha Alma (A Paz Que Eu Nao Quero)
O Rappa
Composição : Marcelo Yuka


A minha alma tá armada e apontada
Para cara do sossego!
(Sêgo! Sêgo! Sêgo! Sêgo!)
Pois paz sem voz, paz sem voz


Não é paz, é medo!
(Medo! Medo! Medo! Medo!)
As vezes eu falo com a vida,
As vezes é ela quem diz:
"Qual a paz que eu não quero conservar,
Prá tentar ser feliz?"

As grades do condomínio
São prá trazer proteção
Mas também trazem a dúvida
Se é você que tá nessa prisão

Me abrace e me dê um beijo,
Faça um filho comigo!
Mas não me deixe sentar na poltrona
No dia de domingo, domingo!
Procurando novas drogas de aluguel
Neste vídeo coagido...


É pela paz que eu não quero seguir admitindo
É pela paz que eu não quero seguir
É pela paz que eu não quero seguir
É pela paz que eu não quero seguir admitindo

COMENTÁRIOS ACERCA DA LETRA DA MÚSICA DO GRUPO "O RAPPA"
http://analisedeletras.com.br/rappa/minha-alma-a-paz-que-eu-nao-quero/ - acesso em 02de abril de 2011

1.Na verdade a musica fala de sermos prisioneiros de uma paz imposta, falsa e submetedora da nossa açao social, onde, pelo fato de sermos pessoas honestas e cumpridoras de nossas obrigaçoes sociais, somos obrigados a nos tornarmos réfens dos grupos sociais que nao se submetem aos ditames sociais e violentamente pertubam a paz., ao perceber isto o autor propoem uma atitude de mudança desta realidade, nao com os padroes sociais, insuficientes para implementar tal mudança, mas através de sentimentos nobres, explicitamente o amor, donde deduz-se que nao existe amor em nossa sociedade. (Comentário by armando — 28 de janeiro de 2011)

2.“A minha alma tá armada e apontada para cara do sossego/ Pois paz sem voz não é paz é medo”. Insegurança, acomodação, fragilidade, medo da solidão, da rejeição, de colocar ”a cara a tapa”. É este o sentido que os primeiros versos passam. E, para reforçar essa ideia, segue o próximo trecho: “Às vezes eu falo com a vida, às vezes é ela quem diz/ Qual a paz que eu não quero conservar para tentar ser feliz?”. A paz almejada está estritamente relacionada com o medo do Eu Lírico. É muito mais fácil alcançá-la sem voz, e aceitar a vida como ela é, sem questioná-la, sem quebrar os paradigmas impostos pela sociedade, pela família ou por outros grupos sociais.


E daí segue o trecho: “As grades do condomínio são para trazer proteção/ Mas também trazem a dúvida se não é você que está nessa prisão”, quando o eu lírico já começa a questionar e ter dúvidas em relação a sua postura “submissa”. Ele começa a buscar um sentido para viver, e descobre-se sozinho, o que talvez é o mal de muitas, e muitas pessoas, como sugere os versos “Me abrace e me dê um beijo/ Faça um filho comigo/ Mas não me deixe sentar na poltrona no dia de domingo”.


Por fim, os versos finais “Procurando novas drogas de aluguel nesse vídeo coagido/ É pela paz que eu não quero seguir admitindo”, revela que sua “paz” é camuflada, é seguida de dúvidas, de medos e de questionamentos que a vida impõe.
Realmente, é “a paz que eu não quero”. (Comentário by Loira — 17 de dezembro de 2010)

3.Eu entendi que nessa musica o autor Happpa, faz críticas aos problemas que sofre hoje a sociedade brasileira . Tanta violência, grande tráfico e consumo de drogas, e pessoas deixam isso passar como se não tivesse vivendo aquela situação,preferem ficar em casa dia de domingo assistindo TV. Essa música para mundos e que deveria significar para todos uma coincientização do que vivemos hoje com tanto problemas, destruição, etc. (Comentário by Isabella — 23 de novembro de 2010)

4.Eu entendo que essa música reflete a realidade em que se encontra a sociedade brasileira.Realidade esta que faz com que aceitemos e acustumemos com situações absurdas, como a violência, drogas e uso de armas, dentre outras atrocidades.


A música faz que que reflitamos qual o verdadeiro significado da paz, ou seja, paz se limita ao que vpcê enxerga no seu mundo isolado ( grades no condomínio) ou paz verdadeira é somente aquela que se alcaça com o bem estar de todos.


O autor da música, Rappaz, faz uma crítica fortíssima aos programas fúteis que passam na televisão, especialmente no domingo que é um dia em que a audiência tende a ser bem maior.(Comentário by Igor Cruz — 26 de outubro de 2010)

5.O Titulo da musica e a primeira estrofe ja reflete o sentido inteiro da musica. Diz, da caracteristica do ser humano, em buscar a paz e não fazer a paz, a paz vem de cada um, do esforço individual. De nosso medo de dar cara à tapa, preferimos ficar recolhidos, em nosso sossego, do que ir à frente e fazer história. Essa e paz que vc quer? Não, não é a paz que eu quero! Você acha que devemos nos entregar a violência e se fazer preso em sua propria casa, e deixar o bandido nas ruas? Ou prefere ficar em casa sossegado no domingo em quanto o mundo corre? vc prefere ficar vendo TV (video coagido)? A musica busca uma tomada de consciência por parte de todos nós, em buscar meios de paz universal (Comentário by Joel neto — 18 de outubro de 2010)

6.“me abrace e me dê um beijo
faça um filho comigo
mas não me deixe sentar
na poltrona no dia de domingo”
Eu acho que nessa parte ele quis falar sobre a classe mais baixa do Brasil ou talvez do mundo mesmo, onde é comum se fazer filho pela falta de fazer outra coisa. (Comentário by Daniel — 12 de agosto de 2010)

7.“a minha alma está armada
e apontada para a cara
do sossego (sego)
pois paz sem voz
não é paz é medo (medo)”
Como a letra em si já foi analisada, gostaria de ressaltar o eco na parte do “sossego” e “medo”, revelando-nos o paradoxo existente, ou seja, afirmando que não podem coexistirem sossego e medo. (Comentário by Jonas — 20 de março de 2010 )

8.Não acho q ele trate especificamente da responsabilidade de se fazer um filho, acho q ele fala pra sacudi-lo, pra trazer ele pra realidade, pra fazer alguma coisa, qualquer coisa que não o faça ficar diante da péssima programação de domingo, que bestifica as pessoas e as deixam tapadas e ignorantes, iludidas por uma falsa paz e acomodados.


Filho é bom, mas na hora certa, geralmente a gnt evita, mas ele prefere fazer um filho que ficar paralizado numa poltrono se enquadrando nesse molde pré-fixados. (Comentário by Angel — 14 de fevereiro de 2010)

 9.“a minha alma está armada
e apontada para a cara
do sossego (sego)
pois paz sem voz
não é paz é medo (medo)”
Trecho acima ele indica que ele reclama se tiver que reclamar porque se você não reclamar não quer dizer que você quer a paz, e sim tem medo de brigar pelos seus direitos.


“às vezes eu falo com a vida
às vezes é ela quem diz
qual a paz que eu não quero
conservar
para tentar ser feliz”
Ele pensa o que ele tem que brigar pra mudar pra poder ser feliz


“as grades do condomínio
são para trazer proteção
mas também trazem a dúvida
se não é você que está nessa prisão”
Ele diz que você está se protegendo do perigo ou o perigo está te prendendo


“me abrace e me dê um beijo
faça um filho comigo
mas não me deixe sentar
na poltrona no dia de domingo
procurando novas drogas
de aluguel nesse vídeo
coagido pela paz
que eu não quero
seguir admitindo”
nesse trecho ele afirma que não quer estar em casa assistindo uma televisão que passa informações coagidas para que você siga um mundo que não quer. (Att. Rafael Soares - RafaelSoarescool@gmail.com)


“O único lugar que o sucesso vem antes do trabalho e no dicionário”. Albert Eisntein. (Comentário by Rafael — 11 de fevereiro de 2010 )

10.E claro para mim pelo menos que eh sobre a falsa paz, a paz que ele nao quer e a paz que acompnha as pessoas que preferem ignorar a realidade e assistir as coisas por de tras de grades de janelas, janelas de carros blindados e outros requisitos para a proteção hj em dia.


E a paz sem voz, tipica de quem nao quer se envolver, nao quer tomar partido, numa atitude blaze. Tipica do homem urbano que esta anestesiado de tanto ser bombardeado por noticias ruins todos os dias.


Ele usa figuras faceis, como a arma que esta apontada para a cara do sossego… a arma significa a violencia urbana, ele seria como um soldado, nem a serviço da lei e nem do trafico ou da violencia… um soldado a serviço da verdade, nua e crua.


As grades do condominio, que são projetadas para proteger quem esta dentro trazem a duvida, pq vc fica preso e inerte enquanto as coisas acontecem indiferentes a sua indiferença.


E fala da responsa de se botar um filho no mundo com essa loucura… deixar que o mundo, as mas companhias o eduquem enquanto vc esta ligado na programação da tv aberta… que e uma droga! (Comentário by Ly — 22 de outubro de 2009)

Na minha interpretação, a música faz uma crítica ao comodismo da sociedade frente aos acontecimentos políticos, econômicos e sociais que o país apresenta...

Dizemos estar seguros nas nossas casas cheias de grades, com nossos carros, nosso cartão de crédito, vamos nos aprisionando, garantindo apenas o que está dentro das nossas casas, sem se importar com o social. Exigimos o fim da violência, mas não tomamos atitudes para buscar a paz...(..."é pela paz que eu não quero seguir admitindo")
Daria p/ ficar um tempão aqui falando...
Veja realmente o clipe...é muito bom. (http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20071003090149AA235yG).




texto nº 2: Calice
Chico Buarque

Pai, afasta de mim esse cálice
Pai, afasta de mim esse cálice
Pai, afasta de mim esse cálice
De vinho tinto de sangue

Como beber dessa bebida amarga
Tragar a dor, engolir a labuta
Mesmo calada a boca, resta o peito
Silêncio na cidade não se escuta
De que me vale ser filho da santa
Melhor seria ser filho da outra
Outra realidade menos morta
Tanta mentira, tanta força bruta
(refrão)
Como é difícil acordar calado
Se na calada da noite eu me dano
Quero lançar um grito desumano
Que é uma maneira de ser escutado
Esse silêncio todo me atordoa
Atordoado eu permaneço atento
Na arquibancada pra a qualquer momento
Ver emergir o monstro da lagoa
(refrão)
De muito gorda a porca já não anda
De muito usada a faca já não corta
Como é difícil, pai, abrir a porta
Essa palavra presa na garganta
Esse pileque homérico no mundo
De que adianta ter boa vontade
Mesmo calado o peito, resta a cuca
Dos bêbados do centro da cidade
(refrão)
Talvez o mundo não seja pequeno
Nem seja a vida um fato consumado
Quero inventar o meu próprio pecado
Quero morrer do meu próprio veneno
Quero perder de vez tua cabeça
Minha cabeça perder teu juízo
Quero cheirar fumaça de óleo diesel
Me embriagar até que alguem me esqueça


COMENTÁRIOS ACERCA DA LETRA DA MÚSICA DE CHICO BUARQUE DE HOLANDA

1. Chico e Gil utilizam da ambiguidade da nossa lingua para chamar o povo daquela época para lutarem contra a repressão.
(Pai, afasta de mim esse cálice)
Ou seja, afasta de mim o silêncio do povo, o medo contra a ditadura que as pessoas tinham.
como dizia o Martin Luter King: “Eu não tenho medo dos maus, eu tenho medo do silêncio dos bons”.

2. “Cálice” nos mostra em metáforas, características da época em que a ditadura imperava no Brasil. Dentre estas metáforas, podemos pegar como exemplo o próprio título. A pronúncia da palavra “Cálice” nos remete à uma ambigüidade em relação à palavra “Cale-se”, o que caracteriza bem a censura do período ditatorial.

Mas as mensagens subliminares e metáforas não são encontradas apenas na palavra cálice se pararmos para analisar minuciosamente vamos encontrar em todos as frases duplo sentidos e criticas do período de ditadura. (Comentário by Thais — 25 de novembro de 2010).

3.“Cálice” uma das músicas mais panfletárias do Chico Buarque, somando-se o fato dele ter como parceiro a genialidade do Gil, fizeram uma grande obra. A análise é extensa por conta de que todos os versos vêm imbuídos de metáforas usadas para contar o drama da tortura no Brasil no período da ditadura militar.
(Pai, afasta de mim esse cálice)
Sintetiza uma súplica por algo que se deseja ver à distância. Boa parte da música faz uma analogia entre a Paixão de Cristo e o sofrimento vivido pela população aterrorizada com o regime autoritário. O refrão faz uma alusão à agonia de Jesus no calvário, mas a ambigüidade da palavra “cálice” em relação ao imperativo “cale-se”, remete à atuação da censura.
(De vinho tinto de sangue)
O “cálice” é um objeto que contém algo em seu interior. Na Bíblia esse conteúdo é o sangue de Cristo, na música é o sangue derramado pelas vítimas da repressão e torturas.
Como beber dessa bebida amarga)
A metáfora do verso remete à dificuldade de aceitar um quadro social em que as pessoas eram subjugadas de forma desumana.
(Tragar a dor, engolir a labuta)
Significa a imposição de ter que agüentar a dor e aceitá-la como algo banal e corriqueiro. “Engolir a labuta” significa ter que aceitar uma condição de trabalho subumana de forma natural e passiva.
(Mesmo calada a boca, resta o peito)
Os poetas afirmam que mesmo a pessoa tendo a sua liberdade de pronunciar-se cerceada, ainda lhe resta o seu desejo, escondido e inviolável dentro do seu peito.
(Silêncio na cidade não se escuta)
O silêncio está metaforicamente relacionado à censura, que, desta forma, é entendida como uma quimera, um absurdo inexistente, porque, na medida em que o silêncio não se escuta, o silêncio não existe.
(De que me vale ser filho da santa / Melhor seria ser filho da outra)
Não fugindo à temática da religião, Chico e Gil usam de metáforas para mostrar suas descrenças naquele regime político e rebaixam a figura da “pátria mãe” à condição inferior a de uma “puta”, termo que fica subentendido na palavra “outra”.
(Outra realidade menos morta)
Seria uma outra realidade, na qual os homens não tivessem sua individualidade e seus direitos anulados.
(Tanta mentira, tanta força bruta)
O regime militar propagandeava que o país vivia um “milagre econômico” e todos eram obrigados a aceitar essa realidade como uma verdade absoluta.
(Como é difícil acordar calado / se na calada da noite eu me dano)
O eu-lírico admite a dificuldade de aceitar passivamente as imposições do regime, principalmente diante das torturas e pressões que eram realizadas à noite. Tudo era tão reprimido que necessitava ser feito às escondidas, de forma clandestina.
(Quero lançar um grito desumano / que é uma maneira de ser escutado)
Talvez porque ninguém escutasse as mensagens lançadas por vias pacíficas e ordeiras, uma das possibilidades, por conta de tanto desespero, seria partir para o confronto.
(Esse silêncio todo me atordoa)
Esse verso denuncia os métodos de torturas e repressão, utilizados para conseguir o silêncio das vítimas, fazendo-as perderem os sentidos.
(Atordoado, eu permaneço atento)
Mesmo atordoado o eu-lírico permanece atento, em estado de alerta para o fim dessa conjuntura, como se estivesse esperando um espetáculo que estaria por vir.
(Na arquibancada, pra a qualquer momento ver emergir o monstro da lagoa)
Entretanto, o espetáculo pode ser, ironicamente, somente o surgimento de mais um mecanismo de imposição de poder do regime, representado pelo monstro da lagoa.
(De muito gorda a porca já não anda)
Essa “porca” refere-se ao sistema ditatorial, que, de tão corrupto e ineficiente, já não funcionava. O porco também é um símbolo da gula, que está entre os sete pecados capitais, retomando a temática de religiosidade e elementos católicos.
(De muito usada a faca já não corta)
Demonstra inoperância, ou seja, mostra o desgaste de uma ferramenta política utilizada à exaustão.
(Como é difícil, pai, abrir a porta)
É expresso o apelo para que sejam diminuídas as dificuldades, mas ao mesmo tempo apresenta a tarefa como sendo muito difícil. A porta representa a saída de um contexto violento. Biblicamente, sinaliza um novo tempo.
(Essa palavra presa na garganta)
É a dificuldade para encontrar a liberdade, a livre expressão. É o desejo de falar, contar e descrever a todos a repressão que está sendo imposta.
(Esse pileque homérico no mundo)
Refere-se ao desejo de liberdade contido no peito de cada cidadão dos países vivendo sob os vários regimes autoritários existentes no mundo.
(De que adianta ter boa vontade)
É um autoquestionamento sobre a ânsia de lutar pela liberdade, uma vez que o mundo estava ao avesso. Refere-se a uma frase bíblica: “paz na terra aos homens de boa vontade”.
(Mesmo calado o peito resta a cuca dos bêbados do centro da cidade)
Mesmo sem liberdade o homem não perde a mente e pode continuar pensando.
(Talvez o mundo não seja pequeno nem seja a vida um fato consumado)
A partir deste verso o eu-lírico sugere a possibilidade de a realidade vir a ser diferente, renovando suas esperanças.
(Quero inventar o meu próprio pecado)
Expressa a vontade de libertar-se da imposição do erro por outros para recriar suas próprias regras e definir por si só, quais são seus erros, sem que outros o apontem. Tem o significado de estar fora da lei. O verbo aproxima-se do desejo urgente e real de liberdade.
(Quero morrer do meu próprio veneno)
Neste verso está implícito que ele deseja ser punido pelos erros que ele vier a praticar seguindo o seu livre-arbítrio, e não, tendo seu desejo cerceado, punido por erros que o sistema acha que ele poderá vir a cometer.
(Quero perder de vez tua cabeça / minha cabeça perder teu juízo)
Traz a idéia de que o eu-lírico deseja ter seu próprio juízo e não o do poder repressor. Quer decapitar a cabeça da ditadura e libertar-se do juízo imposto por ela, para ser dono de suas próprias idéias.
(Quero cheirar fumaça de óleo diesel / me embriagar até que alguém em esqueça)
Para encerrar, Chico e Gil usaram uma imagem forte das táticas de tortura. Para fazer com que os subjugados perdessem a noção da realidade, dentro da sala os repressores queimavam óleo diesel, cuja fumaça deixava-os embriagados. Entretanto, os subjugados também possuíam táticas antitortura, e uma das artimanhas era justamente fingir-se desmaiado, pois, enquanto nesta condição, não eram molestados pelos torturadores. (Comentário by Jean Carlo Miranda da Silva — 15 de novembro de 2010 ).

texto nº 3: ACARNE



A carne mais barata do mercado é a carne negra 5x
Que vai de graça pro presídio
E para debaixo de plástico
Que vai de graça pro subemprego
E pros hospitais psiquiátricos

A carne mais barata do mercado é a carne negra (5x)

Que fez e faz história
Segurando esse país no braço
O cabra aqui não se sente revoltado
Porque o revólver já está engatilhado
E o vingador é lento
Mas muito bem intencionado
E esse país
Vai deixando todo mundo preto
E o cabelo esticado

Mas mesmo assim
Ainda guardo o direito
De algum antepassado da cor
Brigar sutilmente por respeito
Brigar bravamente por respeito
Brigar por justiça e por respeito
De algum antepassado da cor
Brigar, brigar, brigar

A carne mais barata do mercado é a carne negra (5x)

Estas obras ( música e filme: Quanto Vale ou é Por Quilo?, 2005, direção: Sérgio Bianchi, roteiro: Sabrina Anzuapegui (roteiro), Eduardo Benain (roteiro), Sérgio Bianchi (roteiro), Newton Cannito (roteiro), Nireu Cavalcanti (crônicas),Machado de Assis (conto), Iná Camargo Costa (roteiro) Gênero: Drama Origem: Brasil Duração: 104 minutos Tipo: Longa-metragem) mostram claramente a sociedade desigual em que vivemos onde os jovens negros são vítimas do genocídio, da exclusão social ocupando os subempregos e os complexos presidiários e psiquiátricos deste país.

Este tema é muito viável para trabalhamos á auto extima de adolescentes e jovens,mostrando a estes quais os verdadeiros motivos da violência e do tráfico de drogas no Brasil, no qual são fatores que são condicionados "a exclusão social".

NOTA: A CRÍTICA ABAIXO - RESENHA CRÍTICA PERTENCE TAMBÉM AO GÊNERO DE ARGUMENTAR 



NOTA:Quanto Vale ou É Por Quilo? mostra a realidade da população negra no sistema capitalista ocidental,considerado um produto de mercado,Esse filme desenha um painel de duas épocas aparentemente distintas, mas, no fundo, semelhantes na manutenção de uma perversa dinâmica sócio-econômica, embalada pela corrupção impune, pela violência e pelas enormes diferenças sociais. No século XVIII, época da escravidão explícita, os capitães do mato caçavam negros para vendê-los aos senhores de terra com um único objetivo: o lucro. Nos dias atuais, o chamado Terceiro Setor explora a miséria, preenchendo a ausência do Estado em atividades assistenciais, que na verdade também são fontes de muito lucro.Mostra o verdadeiro lugar em que a Lei Áurea,"ABOLIÇÃO" da escravatura colocou a população negra do Brasil. Com humor afinado e um elenco poucas vezes reunido pelo cinema nacional, Quanto Vale ou É Por Quilo? Mostra que o tempo passa e nada muda. O Brasil é um país em permanente crise de valores. (http://unebpedagogia2010vespertino.blogspot.com/2010/08/equipe-tereza-cristina-santos-osvaldo-e.html)


2. bom, sou militante do movimento negro e hip hop... apoio o movimento GLBT, os comunistas de porta de fabrica, e movimento estudantil!

sou branco, não sou homosexual, nem operário e ja terminei meus estudos...
adorei sua colocação, e concordo que as vezes da pra sentir vergonha da pele clara sim, mais o importante e lutar por igualdade e nossos direitos!
creio que não existira igualdade com um país preconceituoso de merda!
enfim, á luta, á voz!(10kdu - http://www.youtube.com/watch?v=oKeg7XPxLU4)


RESENHAS CRÍTICAS

54 comentários:

Comentando o Comentar disse...

Passando pelo Blog, a música do Rappa é boa =D sem dúvida! Paulo Henrique 8° Linus Pauling

ESPAÇO DE LÍNGUA E LITERATURA disse...

PAULO, COMENTE MAIS. JUSTIFIQUE PQUE ESSSES TEXTOS É DO TIPO DO ARGUMENTAR.
AGUARDO RESPOSTA.

Vinícius G. Araujo disse...

para mim a maior dificuldade desse tipo de texto é vc indentificar o argumento usado, eu tenho muita dificuldade com iss

Vinicius G. Araujuo 8ªC
João Cruz

Gabriel disse...

Professora a minha primeira impressão sobre a musica A minha alma, não entendi muito bem o que a musica quis dizer.
A segunda musica a impressão que eu tenho dela e que ele não quer consegue viver nesse mundo.
A próxima musica fala sobre o racismo contra a raça negra.
Já no ultimo vídeo fala sobre as diferenças sócias no Brasil, é um vídeo de argumentar que fala sobre o filme “Quanto vale ou é por quilo?”.




Gabriel Pereira 8ª John Dalton

andreza lucia de freitas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
guuhkennedy disse...

Estou gostando do blog professora :),mais voltando ao assunto pedido,o tipo de texto "Argumento/argumentativo" é quando o autor de algum tipo/gênero de texto , argumenta sobre o assunto,eu acho bem fácil,tanto que a senhora mostrou aquele simples deslize do autor da reportagem "Violência contra mulher é triste realidade" , que ele[autor] diz:"[...]ainda é uma triste realidade" que o autor acabou argumentando sobre o texto escrito.

1º texto sobre a musica:"O Rappa-A minha alma"
Então,professora,alguns dias atrás eu tinha dito que não teria entendido o sentido do texto,ou o modo que o autor quis se expressar por ela,mas agora que eu li profundamente,entendi um pouco o sentido,e assim,ele quis expressar que todos nós,temos responsabilidade e compromisso como pagar as contas,colocar comida na mesa para a família não passar fome,etc... porém tem os corruptos e aproveitadores da honestidade e bondade de todos nós,trabalhadores,o que acaba fazendo nos de idiotas,mas só queremos uma sociedade justa e correta,e queremos liberdade,paz,saúde,porém o governo faz o país como uma prisão sem saída,todos nós pagamos contas e alguns morrem trabalhando para conseguir uma vida melhor,mas para qualquer lugar que formos,temos que pagar,gastar todo nosso dinheiro,para uma vida mais justa,e não adianta de nada,tantas policias hoje em dia,para não fazer nada,nem tirar os bandidos das ruas.

2º musica:"Cálice":
Bom,a letra da música quer nos dizer para todos nós,inteligente e destemidos,a não ficar no silêncio,queremos algo justo?então vamos correr atrás,nada vem fácil,sem lutar pelo que queremos,se não queremos ficar quietos no silêncio do mundo,com medo da polícia,do governo,vamos fazer justiça,vamos correr atrás do que queremos e do que temos direito.

3º musica:"A Carne":
Essa letra de música me comoveu bastante,já que a autora que dizer que os brancos ou racistas,consideram o ser humano afro/negro,um ser humano barato,sofrido,que ele tem a obrigação de sofrer com isso,mas não é nada disso,todos nós tinhamos que ser tratados de igual para igual e isso é uma INJUSTIÇA COM OS NEGROS,e acham que todos os negros são aqueles bandidos,traficantes,os seres humanos que só trazem o mal para a sociedade,mas eles só querem liberdade e RESPEITO.

e aqui é o fim de meus argumentos sobre as letras de musicas,ah,e obrigado por ter cobrado isso de nós na sala hoje :)

guuhkennedy disse...

OBS:Gustavo C. de Almeida 8ºJohn Dalton [A]

andreza lucia de freitas disse...

Professora a primeira inpressão que eu tive é que o Eulirico que encontra a paz.

Andreza Lúcia de Freitas N°1 8ªLavoisier

otavio.jac disse...

Ola Profssora vo deixar aqui meus comentarios das letras de musica "CALICE" E "A CARNE"

1ªMusica "Calice"
A musica calice me deixou a entender que o autor esta fazendo um apelo sobre a questão da falta de respeito com o planeta e também um apelo ao próprio autor ou ao leitor

2ªMusica "A Carne"
Faz um apelo para a sociedade preconceituosa contra a raça negra dando a entender que tudo o que vem do negro nao presta.Esta foi a minha impressão sobr os textos obrigado prof!!!

Otávio Augusto Nº33 8ªSerie John Dalton

paulohabbo85 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
paulohabbo85 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
paulohabbo85 disse...

Desculpa professora pelo 1° recado! Bom ai vai minhas opiniões sobre as 3 músicas...
1°A música "Minha Alma (A Paz Que Eu Nao Quero)" de Marcelo Yuka e cantada pelo canto Rappa, tem como abordagem principal a paz, que ele não quer porque na verdade ela, é apenas uma ilusão é medo!

2°Na música calice de Chico Buarque fala sobre uma represão sofrida pelo povo, que quer falar mais não tem oportunidade ou seja é reprimido de várias formas.

3°diz a música "ACARNE" de Elza Soares que o preconceito ainda esta em niveis altos contra o negro, "A carne mais barata do mercado é a carne negra " os safados racista(como disse o Prof° Alvaro na aula) acham que por ser negro um povo repremido pela escravidão e o preconceito são inferiores (o que me deixa muito nervoso).

P.S Comentarios pequenos mais diretos.
E as regras de acentuação do novo acordo ortográfico estão sendo estudadas!

Abraço, Paulo Henrique 8° Linus Pauling (8°C)

Mozart disse...

Os três textos falam da sociedade atual (ou ate em poucas décadas atrás)
O primeiro texto (letra de musica) O happa: traga logo no começo "a minha alma ta armada e apontada pra a cara do sossego" quer dizer q ele procura uma paz, querendo fugir da realidade da violência na sociedade, quando diz "Pois paz sem voz, paz sem voz Não é paz, é medo!" ele fala q mesmo tentando fugir para paz, ela não é verdadeira q se sente com medo, e com desconfiança da paz insegura;
Quando fala "Às vezes eu falo com a vida, às vezes é ela quem diz:
"Qual a paz que eu não quero conservar,Prá tentar ser feliz?"

ele tem medo mas tenta ser feliz sem pensar no perigo,mas fala da vida que ele fala com ele de maneira explicita as situações mostrando para ele (falando) as coisas da vida q esta errada.
Quando falam "As grades do condomínio
São prá trazer proteção
Mas também trazem a dúvida
Se é você que tá nessa prisão" ele não fala do condomínio, mas o lugar onde ele mora tem muita segurança, e isso sufoca ele ate demais,
Quando fala “Me abrace e me dê um beijo,
Faça um filho comigo!
Mas não me deixe sentar na poltrona
No dia de domingo, domingo!
Procurando novas drogas de aluguel
Neste vídeo coagido..." é q ele quer viver mesmo com a violência pq não pode fazer quase, mas q o eu-lírico fala com alguém, q fala aparentemente para ficar com ele e ajuda-lo a conviver com isso.

(2) o cálice de Chico Buarque faz menção a bíblia com suas ideias de "liberdade” na parte "pai afasta de mim esse cálice" e de "vinho tinto de sangue" entre outras; contra a repressão na época da ditadura militar ate a começo das revoltas por igualdade e justiça no brasil.
E falando como o povo foi "silenciado" no meio da "guerra" q houve, e como ele não aceita o povo aquieto sobre isso ate todo o mal se afaste dele (em afasta de mim esse cálice).

3) "A carne" faz menção da raça negra e do preconceito do qual e desvalorizado os negros no mundo, e como o branco é superior (erro fatal acho sobre os que pensão e ainda acham certo um erro).

Conclusão com os três textos: fala de problemas com a sociedade atual (ou ate quase atual) com preconceito (contra negros), revolta militares (silenciando os brasileiros), violência no Brasil (principalmente nas capitais),

Franciely disse...

na maioria das vezes, esses textos de argumentar podem argumentar várias coisas ao mesmo tempo ,dificilmente eu consigo entender o que mensagem eles estão tentando transmitir.
Franciely 8ºLavoisier

Julia Cortez disse...

a minha impressão da musica é que ele quer recomeçar sua vida
julia cortez 8 jonh dalton

LL's disse...

A minha primeira impressão sobre a musica do Rappa "A minha alma" é que o Eulirico esta inseguro em duvida,confuso e esta à procura da felicidade.


Luiz Guilherme 8ªLavoisier

GH13 disse...

Terça-feira, 5 de abril de 2011

A minha primeira impressão sobre a letra de música A Minha Alma é que o narrador/eu lírico está cansado de tanto sossego e de uma vida tão regrada.

Já sobre a letra Calice, creio que o narrador/eu lírico quer dizer algo para a sociedade, mas não consegue.

E sobre a letra A Carne, acredito que seja um apelo contra os preconceitos do mundo, principalmente os que são contra a etnia negra.

Guilherme Catelani Lírios - nº15
8ªA/8ªJohn Dalton

Déêboraa -* disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Déêboraa -* disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vinícius G. Araujo disse...

Professora Piedade vc pedio para os alunos postarem suas primeiras ideias sobre a musica "minha alma".
minha primeira ideia foi que o eu lirico procurava uma falsa paz que na verdade é o medo do mundo.

Vinicius G.Araujo 8ªC

Déêboraa -* disse...

Professora as minhas primeiras impressões sobre as musicas :

1°A música "A minha Alma" tem como abordagem principal a falsa paz, que na verdade é o medo que ele tem do mundo.
2°Na música "Cálice" fala sobre uma represão sofrida pelo povo, que quer falar mais não tem a oportunidade.
3°A musica "A CARNE" fala sobre os negros e do preconceito contra eles a desvalorização dos negros no mundo.


Débora Garcia Grisante
8°Linus Pauling n°09

Luuís Oliveira disse...

Olá,professora,como vai você?

então vou postar aqui o que entendi das três letras de musicas

1)Eu entendi que em "A minha alma" o eu lírico procura a paz,mas a paz que ele quer, e não a paz que sociedade impõe para ele e o obriga a aceitar!

2)"O cálice" fala que o povo quer lutar para realizar aquilo que eles merecem e desejam mas eles são reprimidos pelos "superiores",que não ligam para o povo.

3)"A carne" fala sobre o preconceito que os negros sofrem na nossa sociedade pois os brancos se acham superiores.
Mas não tem sentindo falar que uma pessoa é superior ou inferior somente pela cor da pele dela,isso é burrice!Todos nós somos humanos.Somos todos iguais!

Luuís Oliveira disse...

OBS:Luís Fernando Torres nº18 8ª Lavoisier

=]

brunobarreto disse...

Professora minha primeira impressão sobre a musica do Rappa "A Minha Alma",foi que ele é uma pessoa a procura Da paz,felicidade e sossego
coisas que não vemos hoje em dia.

Bruno Barreto 8ª A/John Dalton

Marquiinho' disse...

Olá professora , bom o que eu entendi nas letras são que :

1º A música "Minha Alma" o eu lírico está em busca da paz , mas não consegue encontrar a paz que ele precisa, e sim a que ele vive e não está satisfeito.

2º A música "Cálice" está falando de como o povo sofre a repressão , e quer expressar o que acha , mais tem muito medo , e fica em silêncio como no próprio trecho da música diz "Essa palavra presa na garganta"

3º A música " A Carne eu entendi, que seja um apelo contra o preconceito com a raça negra , o racismo que infelizmente ainda existe no mundo.

Aqui está professora, minha impressões sobre as letras .

Marcos Vinicius nº 23
8ª Lavoisier

souza disse...

Ola professora piedade bom eu gostando do blog ,mais voltando ao assunto pedido,o tipo de texto "Argumento e argumentativo" é quando o autor de algum tipo assim de gênero de texto , argumenta sobre o assunto, pois bem acho bem fácil,tanto que a você mostrou aqueles pequenos deslize do autor da reportagem "Violência contra mulher é triste realidade" , que ele autor diz:"[...]ainda é uma triste realidade" que o autor acabou argumentando sobre o texto escrito correto.

1º texto sobre a musica:"O Rappa-A minha alma"
pois bem,professora,alguns dias atrás eu tinha dito que tinha um pequeno sentido do texto,ou seja um jeito que o autor queria se expressar por ela,tipo assim agora que eu li bem mais atenado,entendi um pouco o sentido,é que ele,e quer expressar que todos nós,temos responsabilidade uma missão como levar as crianças na escola, pagar as contas,colocar o pão na mesa para a sua família não passar nessecidades,etc... porém tem os malvados dos corruptos e aproveitadores da honestidade e bondade de todos nós,trabalhadores,o que acaba fazendo nos de idiotas,mas só queremos uma sociedade justa e correta,e queremos liberdade,paz,saúde,porém o governo faz o país como uma prisão sem saída,todos nós pagamos contas de luz, água ,telefone e etc e alguns dão á vida para continuar trabalhando para conseguir pão , uma vida melhor,mas para qualquer lugar que ir momos,temos que pagar conta,gastar todo nosso dinheiro,para uma vida mais justa,e ainda cara não adianta de nada,tantas policias hoje em dia,para não fazer nada,nem tirar os malvados das ruas.

2º musica:"Cálice":
Bom,a letra da música quer dizer para todos nós,inteligente e corajosos ,a não ficar no silêncio,queremos algo justo?então vamos atrás,nada vem beijado nas mão ,sem uma batalha pelo que queremos,se não queremos abaixar a cabeça pó silêncio do mundo,com medo da polícia,do governo,vamos fazer justiça,vamos correr adiante do que queremos e do que temos direito.

3º musica:"A Carne":
Essa letra de música me comove muito cara ,já que a autora quer mostrar que os brancos ou preconsetuosos,consideram o ser humano afro negro,um ser humano barato,sofrido,que ele tem a obrigação de sofrer com isso ,mas não é nada disso,todos nós temos que ser tratados de igualmete para isso é uma injustiça com os negros ,e acham que todos os negros são aqueles bandidos,traficantes,os seres humanos que só trazem o mal para a sociedade,mas eles só querem liberdade e RESPEITO AGORA ME RESPONDA SE O RACISTA FOSSE NEGRO O QUE ELE FARIA EM .



Jonata Souza n°20 8ª serie John Dalton

Comentando o Comentar disse...

A música Perfeição, Legião Urbana
Composição : Renato Russo diz a celebração de nossa nação tão ruim e desorganizada, nós, não temos como mudar ela,então só nos resta celebrar.

P.S Não entendi muito bem a música, espero esclarecer minhas dúvidas na aula.

Paulo Henrique 8° Linus Paling

Mozart disse...

Prof, a musica perfeição fala de todas as injustiças e maldades do mundo no final diz q podemos mudar com o chegar da primavera(que é uma metáfora).

alexandre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Yohana_SM disse...

Passei por aqui, os comentários estão eu meu caderno

Yohanasm

alexandre disse...

Ola professora tudo bem o blog ta legal.
Professora a musica do Rappa é boa mas é dificil de entender demorei muito tempo, mas ainda acho que entendi. Para mim a letra do Rappa fala sobre a paz que cidadão brasileiro não tem; tambem sobre os deveres e compromissos como pagar conta etc ...
professora foi isso que eu entedi por favor se estiver errado me avise

Alexandre 8º Jonh Dalton

caio disse...

A minha primeira impressão da letra da musica minha alma de marcelo o musica e do tipo argumentar pois o Eu Rilico esta criticando a vida
Pois o segundo texto a canção de Chico Buarque escreve sobre a sociedade onde vivemos todas crueldade,mentira que somos obrigados a passar,ele pede a nossa senhora que afasta e esse calice de mim.O autor se sente perdido mais prevere ficar calado e se culpa por isso
No terceiro texto da letra da musica A Carne que fala do racismo


Caio Vinicius da Silva
serie:8b Lavosier

caio disse...

A minha impressão da letra da musica Minha Alma de Marcelo e o texto do tipo argumentar pois o Eu Rilico esta criticando avida.
Pois o segundo texto a cação de Chico Buarque escreve sobre a sociedade onde vivemos todas crueldade,mentira que somos obrigados a passar ele pede a nossa senhora que afasta e esse calice de mim.O autor se sente perdido mais prevere ficar calada e se culpa por isso.
No terceiro texto da letra da musica A Carne fala do racismo


Caio Vinicius da Silva
serie:8B Lavosier

bianca disse...

Acredito que a letra da música ''A minha alma'' nos faz uma pergunta sobre o que consideramos paz e que talvez a resposta não seja tão boa como pensamos.
Na letra de Cálice vemos uma pessoa que esta cansada do mundo e que confessa o que sente ao ''Pai''.
A letra que mais gostei foi ''Perfeição''onde se fala tudo que esta acontecendo,mas de uma maneira cética que nos faz parar para pensar em tudo que acontece nos dias de hoje.

Bianca Valéria -nº04
8ªLinus Pauling - João Cruz

fabio disse...

oi professora
Perfeição:A letra da
musica "Perfeição" fala que o homem esta aceitando e compartilhando para que tudo isso aconteca no mundo
Minha Alma:A letra da musica "Minha Alma" fala que o homem mora em um apartamento onde ele não consegue alcançar o sossego pois ainda tem muita violencia fora do muro do seu apartamento

Fabio Augusto 8°John Dalton

#Maisa# disse...

Oi professora.
Minha primeira impressão sobre a musica "A minha alma" é a falsa paz que o eu lírico sente.
E no meu ponto de vista a musica "Cálice” mostra uma pessoa nervosa e ao mesmo tempo protestante que está cansada deste mundo e que quer se libertar.
E por ultimo a musica "Perfeição",que nos faz parar para pensar sobre a nossa trágica realidade em que vivemos e visualizamos sem poder fazer nada ,apenas "celebrar" como diz o compositor.
Maisa 8ªLinus Pauling

Bianca disse...

A musica que eu achei mais interessante que trouxe uma mensagem de paz mesmo foi a do
-rappa,apesar da letra ser difícil de ser compreendida nós conseguimos identificar quando o texto é do tipo argumentar pois ele traz argumentos sobre o assunto em questão.

as outras duas musicas apesar de não ser muito o estilo que eu estou acostumada a ouvir também trazem uma mensagem muito interessante e nós devemos sempre estar abertos a novidades. como o

-Cálice: fala que nós temos direitos e que devemos lutar por eles não importa se outras pessoas dizem que não vamos conseguir ou que estamos fazendo errado se nós realmente queremos algo devemos sim lutar por isso.
quanto a ultima musica

-a carne: relata sobre racismo que infelismente ainda existe, ninguem merece passar por isso, além de ser horrível para as pessoas que sofrem com esse tipo de coisa vale lembrar que é crime!

Bom professora esses foram meus comentários espero que estejam de acordo com que a senhora pediu obrigada.
Bianca Ap.de Souza 8° Linus Pauling -c

daniel disse...

1°A música "A minha Alma" tem como abordagem principal a falsa paz, que na verdade é o medo que ele tem do mundo.

daniel garcia grisante 8° Linus Pauling

fabio disse...

professora eu não estou com duvidas nas suas aulas!!!
Fabio Augusto 8°John Dalton

*-* disse...

Professora,de tanto a senhora falar de Chico Buarque nas aulas, desde a 5ª série, me despertou um certo interesse, uma certa curiosidade. Baixei uma musica chamada ''Eu te Amo''dele, e não deu em outra.. me apaixonei logo de cara!
São realmente liiindas as letras & a voz encantadora! :D
beijos, Nathália Menacho - 8ª Linus Pauling

tavinho disse...

Professora Piedade suas aulas estão sendo legais mais eu nao entendo muito do texto do tipo argumentar porque e dificil voce acha o argumento que vai ser usado
1°Musica "MINHA ALMA" do Rappa eu não entendi de primeira mais depois lendo novamente eu percebi que nois temos que ter compromisso com a vida .

Luiz Otávio 8°A- Jonh Dalton

tavinho disse...

Professora Piedade a 2°Musica quer dizer para nois detemidos e inteligentes buscarmos algo justo e correr atras porque nada cai do céu


Luiz Otávio 8°A
Jonh Dalton

leticia disse...

1ºletra de música:Minha alma-Rappa
O eu lírico esta desabafando e tambem ele se sente preso.

2ºletra de música:Cálice-Chico Buarque
é alguma coisa triste que possa ter acontecido na vida do eu lírico pq é como se a pessoa tivesse em depressão.eu pude afirmar isso no trecho em q fala:"Me embriagar até que alguem me esqueça"

3º letra de música:a carne
esse texto o autor aborda o preconceito com a raça negra que os brancos se acham superiores que os negros por questão de cor e que os brancos tem mais vantagens q os negros.porém o negro deve brigar por justiça e respeito.

Karine 8ªJohn Dalton

leticia disse...

1ºletra de música:Minha alma-Rappa
O eu lírico esta desabafando e tambem ele se sente preso.

2ºletra de música:Cálice-Chico Buarque
é alguma coisa triste que possa ter acontecido na vida do eu lírico pq é como se a pessoa tivesse em depressão.eu pude afirmar isso no trecho em q fala:"Me embriagar até que alguem me esqueça"

3º letra de música:a carne
esse texto o autor aborda o preconceito com a raça negra que os brancos se acham superiores que os negros por questão de cor e que os brancos tem mais vantagens q os negros.porém o negro deve brigar por justiça e respeito.

Karine 8ªJohn Dalton

Leticia restart disse...

Professora só queria acrescentar uma coisa na segunda letra de música.
2ºletra de música:Cálice-Chico Buarque
é alguma coisa triste que possa ter acontecido na vida do eu lírico pq é como se a pessoa tivesse em depressão.eu pude afirmar isso no trecho em q fala:"Me embriagar até que alguem me esqueça"esse trecho dá a impressão de que a pessoa esta em depressão.



Karine 8ªJohn Dalton

Anaa' Julia disse...

Prof, a musica perfeição fala de todas as injustiças e maldades do mundo e diz tambem como já não temos pra que comemorar, vamos comemorar as tragédias já que é a unica coisa que temos hoje em dia, não é? professora eu vou indo... e depois eu comento mais ta bom ? (sono)
Ana Julia nº03 8ª John Dalton

rafaelinha oliver ^ ^ disse...

Bom a respeito das musicas, eu ja conhecia o trabalho da banda Legião Urbana, e Perfeição é uma das minhas favoritas conhecia a Minha Alma também mais ainda não tinha ouvido falar da Cálice nem A Carne, acho bem interessante seu blog por isso, é mais um meio de conhecermos mais coisas novas e fazer coisas mais uteis no computador.
Acho que o texto do gênero argumentar é muito usado no dia e nem percebemos usamos em musicas, jornais etc.
Não tenho nenhuma duvida.
Rafaela O. 8ªA John Dalton nº35

LeehSantossz disse...

Professor o tipo de texto argumentar é quando o autor argumenta a sua opinião
A primeira impressão que eu tive da musica A minha alma:1º não tinha visto muito sentido na musica , mas depois que os meus colegas de sala começaram argumentar comecei a entender melhor
Leticia Santos nº25 8ºJohn Dalton

LeehSantossz disse...

Professora sobre a musica A MINHA ALMA a primeira impressão para mim não teve muito sentido mas depois com as argumentações dos colega e sua explicação fui entendendo melhor
NÃO TENHO DUVIDA POR ENQUANTO
LETICA SANTOS Nº25 8ºJOHN DALTON

Skate disse...

Eae Professora gostei de todas as letras de Musica muito bem feitas e foraum as melhores que vc poderia ter colocado para nós, não entendi muio elas pela primeira empresão mais depois de ler fika beim mais facil!
Gabriel Andrade Câmara nº11 8ª Jonh Dalton

igor_silvaribe disse...

Na primeira impressão da sala so bre a música Minha Alma (A Paz Que Eu Nao Quero) do grupo O RAPPA‏ o eu-lírico está querendo fugir de uma rotina mas depois de refletirmos a impressão mudou acreditamos que o eu-lírico está com medo da sociedade ele quer seguranças pois ele não está seguro por traz das grades de um condominio como diz em um trecho da letra de música.
Igor da Silva Ribeiro.
8ª A John Dalton.

igor_silvaribe disse...

Sobre a música A CARNE‏:
Essa é mais uma música de protesto, essa música retrata mais sobre o preconceito negro principalmente, pois fala que os negros seguram o Brasil nas costas. No meu ponto de vista essa música nos traz a entender que sem os negros o Brasil não estario no ponto que esta, mas assim mesmo são muito desvalorizados pela sociedade até hoje.
Igor S. Ribeiro
8ª A John Dalton

igor_silvaribe disse...

A respeito da letra de música Perfeição Legião Urbana.
Composição Renato Russo:
Essa Música de Renato Russo é mais uma música de protesto, a hipocrisia da população ele também questiona o Brasil ser campeão em mortes analfabetismo e tal, ele também diz que só podemos celebrar no nosso país "[...]Celebrar a juventude sem escolas
As crianças mortas
Celebrar nossa desunião...[...]
E diz que podemos também celebrar os roubos e a existência de ladrões.

Igor S. Ribeiro
8ªA John Dalton

igor_silvaribe disse...

Sobre a música Calice de Chico Buarque, minhas primeiras impressões foram de um povo sofrido em plena ditadura militar, e também que eles nunca vão desistir, trata também do racismo da época principalmente a negro e essa música é uma música de protesto.

Igor S. Ribeiro 8ªA John Dalton.