terça-feira, 31 de agosto de 2010

O OLHAR POÉTICO DO 3º ANO AGOSTO 2010

Para se tornar homem


Guerra é empenho, é ardor, é agonia, calor,
É o retrato ermo e frio
Da ambição do Homem, que em seu imaginário
Torna-se verdadeiramente homem


É a Alma que decai
É a legião que rescinde à vida,
As raças, dos sonhos, dos desejos
É a necessidade irracional instintiva
de tornar-se infinitamente maior
sobre o menor

É a Natureza
Que precisa ser, ter, tornar-se,
Para mostrar à outros homens que está viva. (Leonardo, Carolina e Marina/3ºC)






Guerra é o vicio, é a fome, é a noite que espera

É o som do silencio do sangue
Da voracidade que o coração consegue
De ser mais, ser ele, ser fera


É o profundo que se trasfigura
Em desejo evidente...É a sorte
Dos risos todos, que se entregm a morte
Para contemplar a Criatura


É a cobiça de um pranto sangrento
De subir aos céus e descer ao invento
Daquela raça primitiva


É a flor que no seus momentos
Mostra aos homens seus tormentos
Para provar que está viva. (Luiza - 3º C)
 



Guerra é entrega, desespero é nocivo,

É a procura por satisfação
É a luta por sua Nação
Que visa o próprio objetivo


 É o desejo que muda,
 Em desrespeito explícito
De um ser humano ilícito
Para a valorização obscura


É a necessidade de sangue... É o prazer,
Em manipular a sociedade ao seu querer
Quebrando todos os princípios


É o homem, que no seu mistério
Quebra todos os limites externos
Para se mostrar poderoso, único! (Dhafne/3º ano C) 


Desumano



Guerra é tragédia, egoísmo, impiedade
È a tragédia sangrenta e dura
Do querer que o espírito procura
Ser bom, ser máximo e que lute


É a consciência que muda
É a vontade evidente... É legião
Pessoas que não tem medo do sofrer
Para conquistar sua ambição


Todos deixam de ser humanos
Jogam fora seus ideais
E voltam a inocência primitiva


A origem misteriosa, desconhecida
Que homens precisam molhar-se em sangue
Para mostrar aos outros que está vivo! (Emanuela Borges 3C)



Homem ou Animal?



A guerra é consequência de atos
É a transformação do homem
Em um ser desconhecido
Á procura da superação de si mesmo.


É deixar de ser humano
Sem perceber, sem sentir
Se entregar a morte
Pela felicidade de um povo.


É o prazer de ver sangue
Por suas próprias maõs
Como um bicho querendo a presa.


É um mistério sombrio
Do qual o homem precisa
Para mostrar que está vivo. (Albert Fernandes de Lima, Jéssica Costa Miguel, /3ºEMC)



O Sacrifício



Guerra é suor, é tempestade, é maléfico, é correr
É dramatização explicita e dura
Da ganância que o Espírito procura
Ser perfeito, ser máximo, ser forte e morrer


É o inconsciente que se desfigura
Em desrespeito conflagedor... É a legião
Das raças todas, que se entrega a solidão
Para a felicidade da Criatura


È a paranóia de sentir sangue, é o instinto horrendo
De transcender, além do universo, descendo
A racionalidade antiga


É o natural que, no seu segredo
Precisa banhar-se em sangue com medo
Para lembrar aos mortais que está viva(Antônio/3º ano C) 



Guerra ao Entardecer


Guerra é força, morte, desilusão
A guerra é desumana e irracional
Guerra é instinto
Satisfação


Morrem inocentes, homens,
mulheres e crianças
Para a satisfação do poder
Homens que brigam como leões disputando alimento.


Mas eles, os homens do poder, brigam por algo maior
Um acordo, algo impensável, impossível
Não há explicação
Pata tanta ameaça, desordem e destruição.


Por um pedaço de terra
Por mais dinheiro e poder
Vidas se perdem, e para os fracos
Não há nada o que fazer
Apenas esperar a morte ao amanhecer, entardecer
Anoitecer... (Carlos Oliveira - 3°EMB).

Vida, Guerra e o Amanhã
(Gabriela de Siqueira , Gabriel Moreira e Nathália Moura/3º ano B) 

Guerra é escolha calada sem pensar
É fogo sem necessidade,algo sem razão
São visões diferentes com o objetivo de derrotar.
Uma doença emocional de vingança e desolação.

Já são tantas as crianças com armas na mão.
Paz no céu e Guerra na Terra, Vamos Mudar!
O Inferno somos nós que criamos, Devemos Parar!
Sangue escorre por Pátria,Território e Religião.

Obsessão por amar os ossos e sangue escorrendo.
Campo fértil para os Soldados que estão morrendo.
Lágrimas corroem os olhos distorcidos.

Nessa Derrota para a Humanidade, o Tempo é vivo.
O Relógio quebrado é um conforto, Ainda Sobrevivo!
Talvez Amanhã a Tortura adormeça ou seremos esquecidos!


A GUERRA



A GUERRA É NERVOSISMO, É IMPACIÊNCIA, É FEBRE


É SENTIDOS INUTEIS DA MORTE


CORAGEM PERDIDA NOS BOSQUES


SER ALVO, SUSPEITO, UM FRACO.



A GUERRA NOS LEVA A LOUCURA


FERIDOS EM BUSCA DA CURA


PERDIDOS NO SANGUE E NA AMARGURA


DE UM POVO HORRENDO.



A GUERRA NÃO LEVA A NADA


SÓ SUJA COM SANGUE AS ESTRADAS


COM CORPOS UM DIA LEMBRADOS.



A GUERRA É NATURAL PARA OS FRACOS


PRECISA DERRAMAR SANGUE PRA SER HOMEM


MAS NÃO PARA SER HUMANO. (ELLEN LAURA RAMOS e


ISAMARA DE ANDRADE/3º EM B - AMIZADE)

5 comentários:

Lela disse...

Desumano

Guerra é tragédia, egoísmo, impiedade
È a tragédia sangrenta e dura
Do querer que o espírito procura
Ser bom, ser máximo e que lute


É a consciência que muda
É a vontade evidente... É legião
Pessoas que não tem medo do sofrer
Para conquistar sua ambição

Todos deixam de ser humanos
Jogam fora seus ideais
E voltam a inocência primitiva

A origem misteriosa, desconhecida
Que homens precisam molhar-se em sangue
Para mostrar aos outros que está vivo!



(nomes Emanuela Borges 3C)

Natalia C. disse...

Teatro dos Vampiros

Guerra é
encharcar as mãos de culpa
enquanto o desespero cai dos olhos
desses pobres irmãos de luta.

Deixam em cidades distantes
famílias,amores
que morrem em campo quando a morte
lhes mostram as cores

Alucinações,espera...
permanentes dores sem cura
Acalma ainda quando aos montes
o medo mostra cadáveres junto a terra.

1918,
Apenas cartas,
Seu filho morto em combate,

Enquanto a sociedade?
-Ah! A sociedade,
padece á carne.

Natalia Capi 3°EMB
Raissa Gonçalves 3°EMB

andreza aparecida martins disse...

professora ja peguei as atividades vou passar para o meu grupo amanha, eu ja leio o livro e coloco no blog a fixa tecnica para a senhora ver
andreza 7ªA

Lizandra disse...

professora aqui esta a ficha técnica:
-Livro: Dia de São Nunca à Tarde
-Editora: Geração
-Autora: Roberto Drummont
-Componentes do Grupo: Lizandra Cristina de Campos n°12(Líder), Luiza Gusmão Dias n°18, Brenda Midori Tanahara n°02 e Camila de Moraes Gomes n°05.
sala: 7°B

pronto!

Ariane disse...

Que maravilha ver nossas parafrases divulgadas e nossa capacidade. :D
Mas ta faltando o meu professora, haha

Beijos
Ariane C Gregório 3EMC