domingo, 16 de agosto de 2009

RECADOS PARA AS 7ªs SÉRIES



PRIMEIRO RECADO: ATIVIDADES PARA AS 7ª SÉRIES DESENVOLVER ENVOLVENDO
NARRAÇÃO. Enviar as atividades pelo email: piedadeteodoro@hotmail.com para serem corrigidas e devolvidas até 27/08/2009.

I- Leia atentamente o texto abaixo :

“A SINA DE ALFO
Alfo era um ratinho muito prestativo que trabalhava para o Rei Leão. Era alegre, brincalhão , amigo com o qual o rei podia contar vinte e quatro horas por dia.
Mas com o passar do tempo, Alfo foi ficando triste, pois vivia praticamente preso às suas obrigações de ajudante-de-ordens, conselheiro, ombudsman, mão direita, mensageiro, e não tinha tempo para mais nada. Por causa de sua índole alegre e expansiva, o ratinho gostava de viver livremente. Por isso, ultimamente, o seu emprego o desgostava muito; sentia-se escravo do dever.
O ratinho Alfo tornava-se cada vez mais sério, mais taciturno; nem as mais engraçadas piadas do papagaio o faziam rir. Os bichos viviam fazendo-lhe graça para tentar descontraí-lo e sugeriam com preocupação:
- Alfo, ria ! Rir faz bem !
- Alfo, ria ! Você está envelhecendo .
Mas quê ! Alfo foi ficando cada vez mais calado, até que um dia resolveu falar com o Rei.
- Senhor , não agüento mais o peso das obrigações. Sou um ratinho sagitariano, quero viajar, ser livre e o excesso de dever está me matando. Nem rir mais eu rio ! Todos vivem me pedindo : - Alfo, ria ! Você está muito triste ! - porque percebem que estou ficando cada vez mais descontente !
- E o que você sugere, meu fiel amigo ?
- Que o senhor me libere de serví-lo . Continuarei sendo seu melhor amigo, se quiser, seu conselheiro, mas quero ser livre. Quero dormir de madrugada, acordar com o sol no meu focinho, quero visitar novas florestas , mas trabalhando assim como trabalho, não posso fazer nada disso !
- É, meu caro ratinho, você tem razão.
- Sabe, majestade, se eu continuar trabalhando tanto, sem ter tempo para mim , vou me tornar amargo . Por favor, liberte-me de minhas obrigações.
- Quem sou eu para ir contra a personalidade de alguém ? Prefiro-o como um amigo alegre a um fiel servidor triste. De hoje em diante, você está livre, Alfo.
Alfo ria sem parar. Estava realmente feliz e poderia fazer tudo aquilo que quisesse.
E foi a partir dessa história, a história do ratinho Alfo que queria a libertação do pesado jugo do trabalho, que nasceu a palavra alforria.”

No seu caderno, identifique:
1- o enredo :
a- introdução - de ...................... a ........................
b- a complicação - de .................... a ...........................
c- o clímax - de ............................ a ...........................
d- o desfecho - de......................... a ............................
2- o tempo
3- o espaço
4- os personagens
5- o narrador e tipo de foco narrativo

II- Mudança de foco narrativo:
a - Passar os textos abaixo para a terceira pessoa.
1- Eu morava numa casa pequena, com um grande quintal e um enorme pomar. Apanhava laranja no pé, vivia em cima da goiabeira, comia fruta-do-conde apanhada na hora, saboreava pitanga, amora, jambo, caju e brincava, brincava muito à sombra das árvores. Um de meus passatempos preferidos era brincar de casinha. Pegava as bonecas, panelinhas, roupinhas e até uma pequena mobília feita na Industrial e ficava horas trocando minhas "filhinhas" e fazendo comidinha num fogão improvisado , feito com dois tijolos. De vez em quando , eu pegava todas as minhas bonecas , colocava-as sentadas em frente a uma lousa e ensinava a elas o beabá; acho que foi nesse tempo que eu escolhi minha profissão.
2-Nos fundos da minha casa havia um riozinho . Meu pai costumava improvisar um barco feito com uma bóia de câmara de ar com uma bacia de alumínio dentro , no qual me colocava junto com meus amigos para passear pelas águas mansas do riacho. De vez em quando, fazíamos piquenique no areião e ficávamos horas nos divertindo à beira do Jaú, ouvindo o barulho das águas limpas correndo na cachoeira.
3-Duas épocas do ano eram ansiosamente esperadas por mim: o mês de junho e o de dezembro. Em junho, havia uma grande festa junina na chácara do Seu Ferrari, um bondoso professor da Industrial, amigo de minha família. Fazia muito frio e eu com minha família e meus amigos ficávamos em volta de uma grande fogueira, bebendo quentão, comendo churrasco , doces típicos e soltando balão. Quantos balões ! Como eu gostava de balões ! O céu ficava iluminado tantos eles eram. Às vezes demoravam a subir, ficavam balançando ; de repente tomavam fôlego e subiam devagarinho . E sumiam na noite estrelada. Lembro-me que várias vezes, a festa coincidiu com o aniversário da Industrial ; meu pai e seus colegas saíam no começo da noite para fazer a tradicional serenata que terminava ali, em volta da fogueira.
4- Em dezembro, havia o Natal. O tão esperado Natal, o Natal do vestido novo, do sapato debaixo da árvore, dos pedidos, muitas vezes não atendidos, e do Papai-Noel. Meses antes, minha mãe plantava um pinheirinho que depois era todo enfeitado com bolas coloridas e um pisca-pisca. Eu acreditava em Papai-Noel ( e em cegonha também ) e essa é uma das melhores lembranças que guardo da minha infância. Algumas vezes ele mesmo veio trazer o meu presente. Eu me lembro que na noite do dia 24, eu não queria ir dormir. Queria esperar o velhinho. Mas o sono vinha e eu acabava dormindo sentada no sofá. - Acorde, o Papai-Noel chegou ! - Você pediu uma boneca com cabelo para pentear, nÔo é ? Está aqui! (Anos mais tarde fiquei sabendo que ele era um funcionário da Loja Renascença) .
5- Muitas vezes não recebi pessoalmente do Papai-Noel o que havia pedido e ao acordar, na manhã do Natal, era a maior alegria ao ver o meu presente e o do meu irmão colocados ao lado de nosso melhor par de sapatos, sob a árvore.
6-Essas são apenas algumas das muitas recordações alegres que guardo da minha infância. Infância de pureza e ingenuidade, de bastante música, de inúmeras brincadeiras e de muitos amigos sinceros que me acompanham até hoje, cujos filhos são amigos dos meus filhos. Eram tempos difíceis aqueles, tudo era conseguido com muito sacrifício, mas todos tínhamos um grande tesouro que jamais será esquecido: tínhamos a felicidade !

b- Passar os textos abaixo para a primeira pessoa:

1-Era sua primeira viagem internacional. Tirou o passaporte, juntou dólar por dólar, estudou roteiros , pesquisou agências e decidiu : Bariloche . Não parava de pensar como seria bom viajar num grande Boeing bebericando um whiskinho e desembarcar em outro país, com alguém lhe esperando com seu nome numa tabuleta. Era demais para um simples mortal como ele. Mas... e a língua ? Ele conhecia meia dúzia de palavras em castelhano, como iria se virar ? Segundo já ouvira diversas vezes, não haveria problema, pois afinal português e castelhano são tão parecidos... Ele era muito esperto e com um pouco de paciência seria fácil se fazer entender.
2-A viagem foi maravilhosa, tudo saiu como ele havia sonhado. O vôo valeu mais que várias aulas de Geografia e ele achou Bariloche era muito mais bonito do que as fotos das revistas; as paisagens, a cidade, as confeitarias... A noite se arrumou, colocou o seu blaser de lã, suas luvas de antílope e foi exatamente aí que aconteceu o inesperado.
3- Como ele não estava com muita fome, resolveu entrar numa das confeitarias que achou simpática e pediu um lanche. O garçon, solícito lhe deu o cardápio. Ele , sem olhá-lo - afinal não ia entender nada mesmo - disse pausadamente :
- Amigo, eu só quero um lanche ! Quero apenas um " perro caliente " .
- Como, señor ?
- Eu quero um " perro caliente " .
4-O garçon balançou a cabeça negativamente ;não entendera nada do que ele tentava dizer. Mas ele insistiu:
- Um " perro caliente" !
E encolhendo seus braços, dobrou suas mãos para baixo em posição de cachorrinho equilibrista e começou a latir:
- Au, au ! " Um perro caliente "! Au, au! Perro, perro !
5-Um brasileiro da mesa ao lado, observando-o e rindo de sua frase e de seus gestos , disse:
- Garçon, ele quer um "pancho" , um"pancho".
6-E ele, meio sem graça , tentando esconder a sua vergonha, falou:
- Como é que eu ia adivinhar que cachorro-quente em castelhano é "pancho"? Não tem nada a ver...

III - Crie um fato e narre-o como se ele houvesse ocorrido.

IV- Leia a notícia abaixo e transforme-a em um relato em que a sua imaginação vai interferir. Use elementos descritivos para caracterizar os personagens.
Ontem, por volta das 23 horas, num bar defronte à Rodoviária, Janete de Tal, 25 anos, atacou João Trabuco, 29 anos, desferindo-lhe sombrinhadas na cabeça.

V- Invente uma história , utilizando os elementos seguintes: um homem/ uma mulher/ barulho de pancadas/ sala sem luz / noite chuvosa. Use elementos descritivos.
VI- Amplie a seguinte idéia, criando um pequeno texto . Você poderá colocar elementos descritivos, nomes para os personagens, especificar o local e data. Fique à vontade.
Um homem foi a sua fazenda e dando comida para as galinhas, perdeu a sua aliança. Com medo da mulher, dirigiu-se à cidade e pediu para um joalheiro amigo fazer-lhe uma nova aliança. Ao chegar em casa, disse à mulher que a sua aliança havia entortado por causa de uma pancada na porteira da fazenda e que e havia mandado arrumar. Passada uma semana, a mulher mandou-lhe trazer um frango da fazenda e qual não foi sua surpresa ao abrir sua moela, encontrou a aliança lá dentro.

VII -Você vai modificar o seu texto escrito no exercício anterior, alterando a ordem da narrativa. Primeiro, comece a escrevê-lo pelo meio; depois, pelo fim. Se quiser, acrescente elementos.

VIII - Você conhece a história do Chapeuzinho Vermelho(CASO QUEIRA ESCOLHA OUTRA PERSONAGEM). Faça de conta que você é o lobo. Conte como a história ocorreu, do seu ponto de vista . Não se esqueça de usar a descrição. Foco narrativo de primeira pessoa.

IX- Você conhece a história da Cinderela(CASO QUEIRA ESCOLHA OUTRA PERSONAGEM). Faça de conta que você é a Cinderela. Conte como a história ocorreu, do seu ponto de vista. Coloque diálogos e , se quiser, elementos descritivos. Foco narrativo de primeira pessoa.

X_ Invente um pequeno texto, com elementos da narrativa, que termine com a frase seguinte:
- Este não é o seu carro, meu senhor. Este é o meu carro. E ponha-se para fora !

XI- Em grupo, Cada pessoa do grupo toma uma folha de papel e escreve o seguinte parágrafo:
Peguei os meus cadernos e fui para a Biblioteca fazer a pesquisa de História. Selecionei alguns livros, dentre eles um muito velho, amarelado. Qual não foi minha surpresa ao abri-lo , pois encontrei dentro um mapa que deveria ser de um tesouro escondido. Resolvi ....
Cada um escreve mais um trecho, continuando a narrativa. Ao sinal do professor, as pessoas trocam a folha entre si no sentido horário, lêem o que o colega escreveu e continuam a narrativa por mais um parágrafo.
Ao sinal do professor, trocam-se novamente as folhas e assim por diante até que a folha chegue a quem escreveu o primeiro parágrafo. A narrativa tem que ter seqüência. Dar um final.

XII- Observe a seguinte seqüência:
a- uma viagem
b- naufrágio
c- a vida na ilha
d- a lâmpada mágica
e- o atendimento aos desejos
Crie um texto baseado na sequência acima, com os elementos da narrativa. O texto pode ser narrado em 1a ou 3a pessoa e deve ter elementos descritivos.
XIII - Tome o texto descritivo desenvolvido no exercício 9 da p. 10 ( exercícios gerais de descrição) . Continue escrevendo-o, colocando nele todos os elementos da narração.

XIV - Mundo dos Objetos -
1- Reunir os alunos em grupos de 3 ou 4 participantes.
2- Por escolha particular ou por sorteio, cada aluno do grupo escolherá um objeto
3- Cada aluno, em seu caderno de Português, desenhará o seu objeto.
4- Numa folha de papel sulfite, o aluno desenhará o seu objeto , transformando-o em personagem, dando-lhe características humanas. Se desejar, poderá dar-lhe alguma característica "maluca" .
5- Depois de todos os desenhos do grupo já prontos, os alunos os colocarão sobre as suas carteiras, para que o restante do grupo analise-os e observe bem as características.
6- Baseando-se nas características dos personagens, os elementos do grupo juntarão todos numa aventura. O texto deverá iniciar-se por uma descrição dos personagens e depois passará para a narrativa de uma aventura envolvendo todos. Durante a narrativa, os personagens deverão usar alguma de suas características , talvez para resolver algum problema na aventura.
7- Desenhar uma capa para o trabalho, de acordo com as características dos personagens e se possível, ilustrá-la com alguma cena da aventura.
8- Se algum aluno faltar durante a elaboração do texto, ou não participar ativamente disso, ele deverá fazer um texto sozinho.

XV - TAPETE MÁGICO. QUAL REGIÃO DO BRASIL VOCÊ ESTÁ ESTUDANDO OU JÁ ESTUDOU? A PROPOSTA É ESCOLHER UMA DELAS OU MAIS DE UMA POR ONDE VAI VOAR COM TEU TAPETE MÁGICO.

MAS POR ENQUANTO, VAMOS À LEITURA...

DESENVOLVIMENTO


TAPETE MÁGICO
Caetano Veloso
Mas nada é mais lindo
Que o sonho dos homens fazer um tapete voar
Sobre um tapete mágico eu vou cantando
Sempre um chão sob os pés, mas longe do chão
Maravilha sem medo, eu vou onde e quando
Me conduz meu desejo e minha paixão
Sobrevôo a Baía da Guanabara
Roço as mangueiras de Belém do Pará
Paro sobre a Paulista de madrugada
Volto pra casa quando quero voltar
Vejo o todo da festa dos navegantes
Pairo sobre a cidade do Salvador
Quero de novo estar onde estava antes
Passo pela janela do meu amor
Costa Brava, Saara, todo o planeta
Luzes, cometas, mil estrelas no céu
Pontos de luz vibrando na noite preta
Tudo quanto é bonito, o tapete e eu
A bordo do tapete você também pode viajar, amor
Basta cantar comigo e vir como eu vou

1- Cada aluno deverá escolher um lugar ou vários por onde queira passear com teu tapete mágico.

2- No caderno, cada aluno fará um levantamento do que há no lugar por onde vai passear: estradas, cidades, praias, vegetação, comidas típicas, folclore, divertimentos e tudo o mais que achar interessante.

3- Você deve se imaginar voando num tapete e sobrevoando o local escolhido. Comecem a escrever o texto em primeira pessoa.

4- No primeiro parágrafo, a introdução, deverá contar como conseguiu o tapete mágico: por obra de algum gênio que encontrou, por presente de alguma fada, ou outro meio qualquer. O parágrafo deverá terminar contando o destino que escolheu para viajar.

5- Do segundo parágrafo em diante, deverá narrar a tua viagem passando por todos os lugares que escolheu, utilizando trechos descritivos.

6- Você poderá descer do tapete, visitar atrações turísticas, conversar com pessoas do local e participar de situações quotidianas do lugar.

7- No último parágrafo, deverá concluir o teu texto, colocando um fecho interessante.

8- Em tantas folhas de sulfite quantos forem os parágrafos do texto, fazer uma margem de 2 cm pintar e desenhar uma figura(ilustrar) referente ao texto que será colocado na página, observando a distribuição;
9- Passar cada parágrafo do texto a limpo na folha de sulfite, junto a figura correspondente;

10- Fazer uma capa em que haja uma cena do texto;

11- Criar uma dedicatória, fazer um breve resumo e uma rápida biografia do autor, no caso você.
(Adaptação da proposta do site: http://lanavision.com/walcestari/)



SEGUNDO RECADO


APÓS A ESCOLHA DO LIVRO NA BIBLIOTECA ESCOLAR, DESENVOLVA AS SEGUINTES ATIVIDADES: ANTES MESMO DE LER O LIVRO, ACREDITO QUE VOCÊ POSSA RESPONDER A ESSAS PERGUNTAS:

(essa proposta deve ser usada tanto para leitura em grupo e individual)


a. Quem é o autor do livro?

b. Quando essa história foi escrita? Para quem?

c. O livro possui gravuras? Quem o ilustrou?

d. Houve revisão? O que é fazer revisão de um livro?

e. Que editora publicou a história? Pertence a alguma coleção? Qual?

f. Para que tipos de leitores? g. Que informações se encontram na quarta-capa?

h. O livro tem orelha? Que informações lá se encontram?

i. Imagine como são as histórias dos livros escolhidos, com base na imagem, no título, no conhecimento que cada um já possui sobre o assunto ou no interesse pelo tema. Exponham as idéias.

j. Folheie o livro e descubra se há alguma informação sobre o autor. Onde se encontra essa informação? O autor ainda vive? Escreveu outros livros? Onde nasceu? Já leu outro(s) livro(s) desse autor?

k. Faça uma pequena biografia do autor do livro.


OBSERVAÇÃO: Envie para meu email para correção. Depois de devolvido. vamos à segunda etapa.


Recolha perguntas e respostas e faça um único texto. Em seguida, envie para email da professora.

11 comentários:

raphael disse...

ola professora
eu terminei e nem lembro na onde tem que enviar por favor responde rapido !!! estou On ainda

Genova disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Genova disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Genova disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Genova disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Genova disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Genova disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
jonatan disse...

como eu mando pra vc

tααy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
tααy disse...

Professora sou ariane da 7ºb eu nao estou conseguindo manda para a senhora o que eu faço ?

guilherme disse...

oi professora!Sou o guilherme Ferreira da 7ªa responsábilidade.
A senhora recebeu o meu segundo recado?