domingo, 1 de maio de 2011

3ºs ANOS SE POSICIONANDO - ARGUMENTAÇÃO MAIO 2011

ARGUMENTAR é uma discussão de temas de relevância social controversos. O argumentar, então, é a sustentação, refutação e negociação de tomadas de posição.
Gêneros orais: Diálogo argumentativo, Debate regrado, Assembléia Discurso de defesa (advocacia) e Discurso de acusação (advocacia).
Gêneros escritos: Textos de opinião, Carta de leitor, Carta de reclamação, Carta de solicitação, Resenha crítica, Artigos de opinião (ou assinados), Editorial e Ensaios.


COMO SE ORGANIZA OS TEXTOS DO ARGUMENTAR





1º Plano texto argumentativo

Primeira etapa:
Tese: A universalização da lei do aborto vigorada em Portugal, em todo mundo.
Público: Mulheres 20-40 anos (classe média).
Argumentos:
1-Estatísticas de Itália e de Holanda mostram que quando o aborto foi legalizado, este diminuiu;
2-Até às 10 semanas não existem neurónios, logo não pode existir dor no feto;
3-O aborto clandestino é um problema de saúde pública;
4-Um aborto mal feito pode ter consequências graves para a saúde da mulher;
5-A mulher tem o direito de tomar decisões num assunto que diz respeito à sua vida como o é da maternidade;
Contra-argumentos:
1-A despenalização do aborto vai provocar o aumento do número de abortos;
2-Um feto é uma "pessoa", semelhante a nós, com iguais direitos;

Texto argumentativo

A lei do aborto que á pouco tempo foi vigorada em Portugal deve ser urgentemente universalizada, em todo Mundo.
O aborto, a chamada Interrupção Voluntária da Gravidez (IVG), é um tema problemático em permanente discussão e debate social, visto ser uma questão que toca valores éticos muito profundos.
Um dos argumentos apontados pelos defensores do “não” dizia respeito, que a despenalização do aborto iria provocar o aumento de número de abortos.
Mas estudos estatísticos de Itália e Holanda mostram o contrário que quando o aborto foi legalizado nestes dois países, este diminui.
Contudo a mulher tem o direito de tomar decisões num assunto que diz respeito á sua vida como á da maternidade, este direito está referido na Organização das Nações Humanas (ONU), que agora vou passar a citar “Direito a decidir ter ou não ter filhos e quando tê-los”.
Ao universalizar-se esta lei iria se estar a promover a saúde pública e consequentemente diminuir o aborto clandestino, em todo mundo.
Dado que o aborto mal feito pode ter consequências graves para a mulher este deve ser liberalizado para o bem da mulher.
Quando os não defensores desta lei referem que um feto é uma "pessoa", semelhante a nós, com iguais direitos estão a entrar em falácia, pois está comprovado cientificamente que até às 10 semanas não existem neurónios, logo não pode existir dor no feto nem se pode considerar um ser com direitos iguais a nós.
Em suma se a despenalização do aborto for universalizada em todo Mundo, as mulheres que decidem abortar terão a possibilidade de serem acompanhadas por profissionais da saúde, que as informarão sobre o estado de gestação do bebé e as elucidarão acerca das consequências físicas e psíquicas que a realização de um aborto poderá trazer às suas vidas.



4 comentários:

✘ Sαмý :) disse...

Boa noite professora! Tudo bem?
Como havia dito na sala, gostaria de saber se o texto argumentativo que esta postado no blog é para pegarmos como exemplo ou se é para fazermos atraves dele o artigo de opiniao..
Obrigada :)

SAMARA 3ºEM Paracelsius

ESPAÇO DE LÍNGUA E LITERATURA disse...

SAMARA, É ISSO MESMO LEIA COMO EXEMPLO E POSTE POR AQUI PARA QUE TODOS OS VISITANTES POSSAM PARTICIPAR DE TUA EXPOSIÇÃO.

- Ana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
- Ana disse...

Professora, depois que li sobre argumentação e suas diferentes formas, fiquei mais esperta para escrever dando minha opinião de uma forma sutil. E falando nisso eu gostaria de saber se é para mandar a cronica e o artigo juntos ou, se é para mandar a cronica e deixar a Senhora corrigi-la para depois mandar o artigo.
Ana Rúbia 3ºEMA